Vale a viagem

Tudo são flores em Holambra durante a Expoflora

A 25a edição da feira tem danças, paradas e mostra de paisagismo

Por: Katia Calsavara - Atualizado em

Das placas de trânsito em formato de tulipa aos canteiros espalhados pelas esquinas, tudo são flores em Holambra. A cidade de 10 000 habitantes, a 125 quilômetros da capital, fica ainda mais colorida agora em setembro, época da Expoflora – a tradicional mostra de flores e plantas que está em sua 25ª edição. Até o dia 24, o município de colonização holandesa espera receber cerca de 300 000 turistas. As atrações da festa vão além das mais de 200 espécies de flores expostas – muitas delas diferentonas, como rosas e cravos verdes, ou transformadas em esculturas. Pode-se passear por dezenove ambientes criados por paisagistas, comer doces típicos e assistir a apresentações de dança.

O passeio dura um dia inteiro e é importante se preparar para andar bastante. Com 250.000 metros quadrados, o parque temático em que se realiza a exposição tem área equivalente a trinta campos de futebol. Para quem quiser descansar entre uma caminhada e outra, uma sugestão é entrar nas docerias que funcionam em simpáticas casinhas de tijolos aparentes e provar apetitosos doces como a apeltaartje, considerada a verdadeira torta holandesa, feita com maçã e canela. Enquanto dá uma mordida na tal torta, aproveite para ver os grupos de dança em trajes típicos que se apresentam nas alamedas ajardinadas. Repare nos pés dos rapazes e das moças. Quase todos usam enormes tamancos de madeira. Esse tipo de calçado, próprio para proteger do frio e umidade, já foi mais comum na Holanda, mas ainda hoje é utilizado por trabalhadores das áreas agrícolas. Como não são nada confortáveis, os tamancos exigem várias camadas de meia para resguardar os pés de quem dança ou mesmo caminha com eles. "Às vezes, uso oito pares de meia", diz a dançarina Beatriz Bernardes Martins, de 15 anos. Todos os dias, às 16h30, há um desfile de carros alegóricos e, às 17h, uma chuva de pétalas de rosas.

Para quem pensa em se perder nos imensos campos coloridos, vale lembrar que isso só é permitido em poucas áreas de algumas fazendas. De acordo com os proprietários, a entrada de visitantes pode contaminar o cultivo. Uma das fazendas abertas à visitação é a Terra Viva, com plantações de gérberas, crisântemos e antúrios. É interessante dar uma olhada também no sítio Irmãos Van Rooijen, produtor de rosas. Para ir a esses lugares, é preciso pegar um ônibus que sai do centro do parque temático de quinze em quinze minutos (a passagem custa 7,50 reais). "Nunca vi tantas espécies de flores juntas", conta a vendedora Marinês Rigo. Antes de pegar a estrada de volta, não deixe de ir ao Garden Center, onde são vendidos os mais variados tipos de plantas e flores. Há desde vasos com minicactos por 1,50 real até um bonsai de quarenta anos que custa 5 970 reais.

25ª Expoflora. Rodovia Campinas–Mogi Mirim (SP-340), quilômetro 141, Tel. (19) 3802-1421. Quinta a domingo, das 9h às 19h. R$ 20,00. Grátis para menores de 5 anos. Maiores de 65 anos pagam meia-entrada. Até dia 24.

Fonte: VEJA SÃO PAULO