Crianças

Cia. Truks apresenta a peça "Sonhatório" no Sesc Pinheiros

Espetáculo mostra a história de três pacientes de um manicômio cheios de imaginação

Por: Tatiane Rosset - Atualizado em

Sonhatório Truks Crianças 2277
Hugo Reis, Rafael Senatore e Gabriel Sitchin: manipulação de objetos em "Sonhatório" (Foto: Karim da Hora)

Com 22 anos de tradição na manipulação de bonecos e de tantos outros objetos, a Cia. Truks estreia a divertida peça "Sonhatório". Em um hospital psiquiátrico, três homens chegam ao refeitório para a hora do almoço. Como a comida demora a ser servida, eles buscam um meio de esquecer a fome e fazer o tempo passar.

Os amigos começam a dar vida aos utensílios da cozinha. Guardanapos viram experientes lutadores, uma colher de pau se transforma em uma delicada donzela e sacos plásticos tornam-se belas águas-vivas que dançam pelo cenário. Depois de se esbaldar em diversos mundos, o horário do almoço acaba e o amalucado trio precisa retornar para as suas tarefas. E, então, a surpresa: aqueles são, na verdade, os médicos do manicômio.

+ Crianças: confira dez programas imperdíveis em julho

+ Cursos de férias para brincar e aprender

Henrique Sitchin, diretor e autor do espetáculo, atinge o objetivo de encontrar a poesia nas pequenas coisas. Com um elenco talentoso, formado por Rafael Senatore, Gabriel Sitchin, filho de Henrique, e Hugo Reis, a montagem reforça o poder da imaginação e a plateia rapidamente embarca na viagem. A fórmula já foi experimentada com grande sucesso na trilogia “Zôo-Ilógico” (2004), “Inzôonia” (2005) e “Guarda Zool” (2006) e mesmo assim continua eficiente.

Entre as diversas caracterizações, a reprodução da famosa cena do filme “Titanic” (1997) com bules de café ganha destaque — o público cai na gargalhada ao ouvir a trilha sonora do longa-metragem. O cenário vai perdendo seus itens no decorrer do espetáculo, pouco a pouco, conforme cisnes e patinhos são criados com canecas e panelas. Bem executada, a iluminação muda de acordo com a aventura dos malucos. Mais alaranjada no quente deserto e de um leve azul para as cenas mágicas do fundo do oceano.

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO