Crianças

Três espetáculos apresentam histórias baseadas em livros

Saiba onde assistir a Até as Princesas Soltam Pum, Pandolfo Bereba e Procurando Firme

Por: Tatiane Rosset - Atualizado em

Até as Princesas Soltam Pum
(Foto: Flavio Moraes)

Conheça três espetáculos cujas histórias são baseadas em livros.

  • Inspirado no livro de Ilan Brenman de mesmo nome, o espetáculo da Cia. Toc Toc Posso Entrar? narra a festa do pijama das amigas Luiza (Danielle Barros) e Laura (Fabiane Camargo). As duas começam a se questionar sobre o que é necessário para ser uma princesa. Procurando na internet, elas (aparentemente) acham as respostas no Livro Secreto das Princesas. Apesar do visual caprichado e das boas ideias, entre elas as bem ensaiadas interações com animações projetadas em um telão, a montagem possui ritmo lento e texto confuso, que falham na tarefa de prender a atenção da meninada. Estreou em 21/9/2013. Até 22/12/2013.
    Saiba mais
  • Adaptação do livro de mesmo nome da autora Eva Furnari, o espetáculo conta a história de um príncipe que não é bonito, muito menos encantador. Solitário, ele afasta todos que tentam se aproximar dele ao falar dos defeitos dos outros. Tudo muda quando o personagem conhece uma heroína. Levada à cena pela Cia. Circo de Trapo, a montagem tem adaptação e direção de Fábio Brandi. Com Marco Ponce, Rosana Borges e Verônica Nóbili. Estreou em 12/10/2013. Até 1º/12/2013.
    Saiba mais
  • Inspirado no livro de mesmo nome da escritora Ruth Rocha, o espetáculo Procurando Firme traz uma princesa pouco convencional. Interpretada pela atriz Gabriela Segato, a garota espera pacientemente pelo príncipe encantado que a salvará das garras de um terrível dragão. Enquanto aguarda, ela aprende a se comportar como uma dama. Cansada dos pretendentes e das lições, resolve quebrar a tradição para conhecer o mundo e achar o amor por sua conta e risco. O talentoso elenco, formado ainda por Erica Montanheiro (irmã do diretor, Kleber Montanheiro), Daniela Flor, Paulo Vasconcelos, Pedro Bacellar e Mateus Monteiro (responsável também por tocar a trilha sonora da montagem ao vivo no piano), arranca risadas do público com facilidade. Sobressai ainda o cenário simples e eficiente criado por Kleber Montanheiro. A montagem só peca ao abusar dos estereótipos. Um árabe, por exemplo, é retratado como o dono de uma petrolífera. Estreou em 19/10/2013. Até 23/2/2014.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO