Esporte

Com custo de 250 reais ao mês, treinamento físico de Ayrton Senna é aplicado em parques

Filhos do preparador Nuno Cobra, cujo cliente mais famoso era o piloto paulistano, adaptaram a técnica do pai que propõe melhor qualidade de vida a partir de atividades que unem desafio e diversão

Por: Marcus Oliveira - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

No início deste ano, a empresa esportiva Cobra Saúde decidiu tornar acessível para mais pessoas uma metodologia até então exclusiva para atletas de alto rendimento e empresários. Nuno Cobra Junior e Renato Cobra, filhos do guru da atividade física Nuno Cobra Ribeiro, adaptaram a técnica do pai cuja ideia principal é a superação do corpo como caminho para uma mente sã e feliz. Nuno ficou famoso por trabalhar com o piloto Ayrton Senna, que creditava muitas de suas conquistas ao treinamento exclusivo, criado por vota dos anos 50. 

+ Os mitos e as verdades do mundo das academias

Os irmãos investiram em uma nova formatação para o método. Antes feitos em pistas de atletismo por adeptos que contratavam o serviço do pai, os exercícios agora são ministrados em grupos que se encontram em parques da cidade. Eles podem ser vistos entre terça e sábado nos parques Ibirapuera, Villa-Lobos e PET Tatuapé e na USP, em horários da manhã e noite. Hoje, são oitenta alunos que participam dos circuitos de uma a duas vezes por semana.

Tratam-se de desafios que unem ginástica olímpica, atividades funcionais, circo e dinâmicas que agem diretamente na confiança e autoestima dos praticantes. Um dos mais difíceis é a volta na barra:

Hoje, alguns vips ainda desembolsam 2 000 reais por mês pelo método Cobra, em encontros individuais. Entretanto, os filhos do guru cobram um valor menos salgado, 250 reais mensais para o treinamento coletivo.

Como funciona

Em vez do lema dos marombados "no pain, no gain" (sem dor, sem ganho), os irmãos levantam a bandeira do "no pain, more gain" (sem dor, mais ganho). Os exercícios são realizados com equipamentos como barras fixas, bolas de pilates, malabares, bambolês, cordas de navio e até uma espécie de esteira de patinação. O circuito de atividades dura cerca de uma hora. "Buscamos fazer com que as pessoas se sintam desafiadas e ao mesmo tempo se divirtam", afirma Renato.

+ Aulas de crossfit viram febre em São Paulo

Enquanto fazia curso preparatório para faculdade, Gustavo Winther, 19 anos, tinha muita dificuldade de concentração. Encontrou nos malabares uma forma de manter o foco. "Fui evoluindo aos poucos e, quando percebi, estava praticando com três bolinhas. Acabei passando em três faculdades", comemora ele, que eliminou 15 quilos na balança.

Grupos

Assim que passam a integrar o time, os novos alunos participam de uma aula exclusiva com um dos técnicos. O intuito é fazer com que os adeptos passem a se "enxergar" dentro da própria rotina. A partir daí, fortalecem sete pilares: cardiovascular, fortalecimento, sono, alimentação, equilíbrio, relaxamento e respiração.

O gerente de marketing Paulo Henrique Sampaio Amaral, 43 anos, teve uma mudança fundamental em sua vida depois que aprendeu a meditar. "Fumava, tomava remédio para dormir, era ansioso e tinha muito problema de stress. Agora, consigo entender as reais necessidades do meu corpo e não me altero mais tão facilmente", garante.

+ Confira academias que funcionam 24 horas em SP

Para incentivar os adeptos, são elaborados treinamentos personalizados e ideais para cada estilo de vida, que devem ser realizados em momentos diferentes dos encontros nos parques, junto com testes que medem as particularidades dos participantes. Este processo envolve exercícios cardiovasculares e musculares, atividades de flexibilidade, coordenação motora, postura e equilíbrio, além de orientações sobre alimentação, sono, relaxamento e meditação.

Nuno Cobra Saúde
A arquiteta Simone Lima Pires havia tentado fazer treinamentos com personal antes de encontrar a equipe dos irmãos Cobra (Foto: Mario Rodrigues)

Depois de passar por diferentes academias da cidade e contratar serviços de personal trainer, a arquiteta Simone Lima Pires, 48 anos, entrou para o grupo há cinco meses e sentiu diferenças rápida quando aprendeu a controlar a respiração. "Fazer atividades físicas passou a ser um prazer e não uma obrigação. Sinto-me mais poderosa", afirma.

Segundo Nuno Cobra Junior: “Além de fortalecimento muscular através de uma atividade funcional, queremos que o aluno tenha melhora e aperfeiçoamento pessoal, adquirindo foco e concentração."

Fonte: VEJA SÃO PAULO