Bares

Sucesso no Rio, o bar Aconchego Carioca abre filial em São Paulo

Boteco chique ocupa um charmoso sobrado nos Jardins e investe em releituras de petiscos típicos de botequim

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

aconchego-carioca
Kátia Barbosa e o bolinho de feijoada: vindos do Rio de Janeiro (Foto: Fernando Frazão / Fernando Lemos)

Eleito quatro vezes consecutivas o bar detentor da melhor cozinha no especial "Comer & Beber" de Veja Rio, o Aconchego Carioca acaba de ganhar uma filial nos Jardins, em São Paulo. Em soft opening desde meados de setembro, a casa inaugurou oficialmente nesta terça (25). À frente do empreendimento está a talentosa cozinheira Kátia Barbosa, queridinha de ícones como o chef Claude Troigros, e o sommelier de cerveja Eduardo Passarelli (ex-Melograno).

+ Bares com boas cartas de cervejas

+ Bares que servem PFs durante a semana

Depois de uma busca que se estendeu por quase oito meses, a dupla bateu o martelo e deu vida ao local num charmoso sobrado na Alameda Jaú, com decoração semelhante à da unidade carioca. Outro ponto em comum aqui e lá é o cardápio, repleto de clássicos.

Um deles é o bolinho de feijoada recheado com couve e bacon (R$ 21,00, quatro unidades). Aqui, ele ganhou uma versão em homenagem ao público paulistano: o bolinho de virado à paulista, feito com massa de feijão-carioquinha com recheio de couve, linguiça, bisteca e ovo (R$ 21,00, quatro unidades). Mais substanciosa, a costelinha de porco ao molho de goiabada (R$ 68,00) é outro destaque trazido da matriz.

A casa trabalhará ainda com almoço executivo, servido de terça a sexta-feira - às quintas, por exemplo, o menu completo (R$ 32,90) leva à mesa mix de folhas verdes com castanha de caju, risoto de arroz vermelho com carne de sol e, no arremate, tapioca de laranja com brigadeiro.

Na escolta dos petiscos estão 200 rótulos de cerveja selecionados por Passarelli. Recém-chegada ao Brasil, a belga Affligem Blond (R$ 10,50, 330 mililitros) é um dos destaques da carta, que conta também com garrafas nacionais, a exemplo da Taperebá Witbier (R$ 19,00, 330 mililitros), da Amazon Beer, de Belém do Pará.

Fonte: VEJA SÃO PAULO