Restaurantes

Tradição árabe no Manish

Aberta no Itaim, casa descende de outros dois sucessos, o Saj, na Vila Madalena, e o Farabbud, em Moema

Por: Arnaldo Lorençato - Atualizado em

Restaurante Manish 2230
O moderno salão: parede revestida de ladrilhos pintados a mão (Foto: Mario Rodrigues)

Não há como ficar indiferente à bela fachada do Manish, no Itaim. Chama atenção o mosaico de concreto que adorna o espaço, conhecido como muxarabi. A peça, típica dos países árabes, oculta parcialmente o salão e permite aos clientes ver a rua. Em seu interior, exibe uma parede de ladrilhos pintados a mão criada pela equipe da grife de moda Ellus.

+ Porto Rubaiyat reabre na Rua Amauri em ponto mais aconchegante

+ Falafa Bar & Deli alia petiscos árabes a sanduíches nova-iorquinos

Apesar do visual moderno, o restaurante descende de uma tradição iniciada no fim da década de 50 por Emilio Abbud, dono do extinto libanês Flamingo, pai e avô de dois dos proprietários do novo endereço. Paulo Abbud comanda o Farabbud, em Moema, e seu filho, Paulo Abbud Filho, é sócio do Saj, na Vila Madalena. Segundo Abbud, o investimento foi de 4 milhões de reais.

Combinado muxarabi do Manish 2230
Combinado muxarabi (R$ 44,90): pintado ao molho taratur, batata ao murro e salada fatuche (Foto: Mario Rodrigues)

A casa oferece um cardápio quase idêntico aos dos seus antecessores, mas com preços cerca de 15% mais altos. Para começar, saboreie o trio de pastas (babaganuche, homus e coalhada seca; R$ 18,90) na companhia de pães assados na chapa chamada saj (R$ 6,20 duas unidades). Também vale pedir o quibre cru (R$ 24,90), a linguiça bovina (R$ 19,90) e o trigo frique (com frango e carne; R$ 19,90). Essas quatro receitas compõem o mix quadra de ases (R$ 38,90), ideal para partilhar. Os fãs de esfiha dispõem de uma inusitada versão aberta de queijo de cabra (R$ 9,90).

+ Como, logo existo: blog do Arnaldo Lorençato

+ Xaveco Virtual: nossa ferramenta para paquerar no Twitter

De prato principal, reserve outra novidade: o combinado muxarabi (pintado ao molho taratur, salada fatuche e batata ao murro com cebola dourada; R$ 44,90). Na sobremesa, o malabie na calda de pistache (R$ 14,90) mostra-se uma das boas escolhas. Confiada ao sommelier Gustavo Abreu, a carta de vinhos traz o espanhol Pagus de Cirsus 2007 (R$ 63,00).

COMIDA ✪✪✪ | AMBIENTE ✪✪✪✪ | SERVIÇO ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO