Gastronomia

Tours levam paulistanos e turistas a múltiplas degustações

Roteiros exploram bares, restaurantes e docerias da capital

Por: Silas Colombo - Atualizado em

Sampa beer
Grupo na primeira edição do Sampa Beer Tour: doze rótulos em cinco horas (Foto: Mario Rodrigues)

São cerca de 250 restaurantes japoneses, 500 churrascarias e 15 000 bares e botecos. Com um cardápio tão variado, a cidade de São Paulo é um desafio e tanto para quem tem apetite por experimentar de tudo um pouco. Para encurtar o caminho ou, pelo menos, dar uma amostra dessa diversidade de sabores, pipocam aqui e ali roteiros turísticos destinados a explorar, em um só dia, vários endereços da capital.

No sábado (10), ao meio-dia, a reportagem embarcou em um deles. Era a primeira edição do Sampa Beer Tour. Os oito participantes (há catorze vagas) começavam a aparecer em frente ao ponto de encontro, uma das saídas da Estação Faria Lima do metrô. Até o fim da tarde, provariam doze rótulos de cerveja. “Não vou carregar quem passar da conta”, avisava o idealizador do projeto, Deva Castanhari. A fim de amenizar os efeitos do álcool, em cada estabelecimento são servidos dois tipos de petisco, como bolinho de feijoada e porções de risoto (tudo incluso no pacote, que custa 165 reais).

Primeira parada: Empório Alto dos Pinheiros, com 580 rótulos, a maioria deles importada. “Hoje vamos beber história”, dizia o sommelier cervejeiro Denny Ueda, explicando o processo de fabricação e curiosidades de cada tipo. O passo seguinte é o Mr. Beer, misto de loja e bar, no Itaim, onde o grupo é recebido com a belga Martin’s. As últimas estações são o Aconchego Carioca, nos Jardins, e a Cervejaria Nacional, em Pinheiros. Ao final, cada integrante do passeio havia bebericado cerca de 1 litro. “A intenção é consumir menos, mas melhor”, explica Castanhari.

sweet flavor tour
Uma das paradas do Sweet Flavor Tour: 400 gramas de doces por pessoa (Foto: Divulgação)

O teor alcoólico médio das marcas provadas é aproximadamente o dobro do das garrafas pilsen mais populares do mercado, mas ninguém perdeu a linha. Acanhados diante dos desconhecidos no começo do passeio, a essa altura os participantes já estavam entre tapinhas nas costas dos novos melhores amigos, devidamente adicionados no Facebook. “Na última mesa, todos pareciam se conhecer de velha data”, dizia Talita Rodrigues, que foi sozinha ao evento.

Esse tour etílico, que se repetirá todos os sábados, se junta a roteiros também recém-chegados. O Sweet Flavour Tour, lançado no fim de julho, passa por brigaderias, sorveterias e afins. Além de degustar mais de 400 gramas (sim, quase meio quilo!) de bem-casados, pirulitos e o que mais houver pela frente, é possível observar a confecção dos doces. Sempre às sextas e sábados, está com reservas praticamente esgotadas até o fim de agosto.

Priscila Sabará e Nina Loscalzo food hunters
Priscila Sabará e Nina Loscalzo, do Food Hunters: comida e arquitetura (Foto: Lucas Lima)

Em julho, o tour Food Hunters também teve sua primeira edição, com uma rota a pé pelo centro paulistano. A iniciativa, que deve ter novas paradas em bairros como Vila Madalena, é da designer Nina Loscalzo e da nutricionista Priscila Sabará, donas de uma consultoria gastronômica (elas elaboram cardápios para eventos, por exemplo). “Nossa ideia é oferecer informações sobre a cultura e a história da cidade”, conta Nina. Quem participou do circuito de estreia, portanto,conheceu não apenas a massa com galinha caipira do Bar da Dona Onça e o pudim de leite do Ramona mas também a arquitetura de prédios como o Copan.

São iniciativas, por enquanto, experimentais, que se espelham em parte no projeto bem-sucedido do Pub Crawl SP, que segue o estilo “pé na jaca” (crawl quer dizer rastejar, em inglês). Ele acontece às terças e quintas na Rua Augusta e às sextas e sábados na Vila Madalena, visitando três bares e baladas com bebida liberada. O organizador, conhecido como Kyu Bill, não fala em faturamento, mas cada um dos passeios (entre 20 e 60 reais por pessoa) reúne até 100 participantes. Entusiasmado, em setembro ele inaugurará o Gourmet Tour, uma peregrinação por até cinco cozinhas de diferentes nacionalidades em um único dia.

Fonte: VEJA SÃO PAULO