Futebol

Time de Abilio Diniz briga para chegar à primeira divisão do Paulista

O Pão de Açúcar Esporte Clube está na vice-liderança da série A2 - se confirmar seu lugar entre os quatro primeiros assegurará vaga para a série A1 do Paulista

Por: Giovana Romani - Atualizado em

2157 futebol 1
Centro de treinamento: área de 51 000 metros quadrados ao lado da Ponte Octavio Frias de Oliveira (Foto: Miriam Gomes)

O último domingo (14) começou quente no Estádio Conde Rodolfo Crespi (mais conhecido como estádio do Juventus, na Rua Javari, na Mooca). Sob um sol escaldante, os atletas do Pão de Açúcar Esporte Clube (Paec) entraram em campo perto das 10 horas. Em jogo, a manutenção do time na vice-liderança da série A2 do Campeonato Paulista. Vindo da cidade de Lins, o adversário, Linense, dependia da vitória para ultrapassá-lo na tabela. A disputa estava tensa quando, aos dez minutos do segundo tempo, o artilheiro Rafael Martins marcou o único gol da partida. Se confirmar seu lugar entre os quatro primeiros, o Paec assegurará o passaporte para a série A1 do Paulista. Ou seja, no ano que vem, poderá competir com gigantes como Palmeiras, Corinthians, São Paulo... “Chegamos tão longe muito mais rápido do que imaginamos”, afirma Fernando Solleiro, presidente do clube e diretor de recursos humanos do grupo Pão de Açúcar. “Mas subimos um degrau de cada vez.”

Miriam Gomes
2157 futebol 2
O artilheiro Rafael Martins (de amarelo), no estádio do Juventus, no último domingo: 1 a 0 sobre o Linense (Foto: Miriam Gomes)
O artilheiro Rafael Martins (de amarelo), no estádio do Juventus, no último domingo: 1 a 0 sobre o Linense

Apaixonado por esporte, o são-paulino Abilio Diniz, dono da rede de supermercados, teve a ideia de criar um projeto social ligado ao futebol em 2003. Começou de maneira ambiciosa: 71 000 jovens nascidos entre 1987 e 1990 participaram da primeira peneira da equipe. No ano seguinte, 72 aprendizes escolhidos passaram a treinar no centro de 51 000 metros quadrados localizado no Real Parque, com vista para a Ponte Estaiada Octavio Frias de Oliveira. “Não espero que as pessoas deixem seu time de coração para torcer pelo Pão de Açúcar”, conta Diniz. “Mas quero que este seja o segundo time de todos os paulistas e, futuramente, de todos os brasileiros.” Desde o início, o nome forte por trás do sucesso da equipe é o de José Carlos Brunoro, diretor do clube e sócio da consultoria esportiva Brunoro Sport Business. Ex-técnico de vôlei, ele foi gestor da bem-sucedida parceria entre Palmeiras e Parmalat de 1992 a 1997 e gerenciou a carreira de Pedro Paulo Diniz, filho de Abilio, na Fórmula 1. “Apesar de toda essa bagagem, o Paec é meu sonho de consumo profissional”, garante. “Aqui conseguimos começar pelas categorias de base, para só depois criar uma equipe profissional.”

Fonte: VEJA SÃO PAULO