Entrevista

"Me sinto mais em casa no Brasil do que nos EUA", diz Tim Burton

Em coletiva de imprensa, o cineasta contou sobre sua experiência no Carnaval e impressões sobre a mostra do MIS

Por: Julia Flamingo

Tim Burton
O diretor em uma das montagens de mostra (Foto: AFP/DPA/Marius Becker)

Depois de curtir o carnaval do Rio de Janeiro num camarote na Sapucaí, tirar selfie com fãs e gravar vídeos dos desfiles no celular, o cineasta Tim Burton aterrissou em São Paulo rasgando elogios ao evento: "Ir para o Carnaval foi a experiência mais incrível que eu já tive".

+ 17 curiosidades sobre Tim Burton

+ Foto de Tim Burton na praia leva internet à loucura

Na coletiva de imprensa ocorrida nesta quarta (10), no MIS, Burton diz se sentir "mais estranhamente em casa estando no Brasil do que nos Estados Unidos". Os gritos de Carnaval e o samba no pé o impressionaram. "No Brasil, parece muito mais fácil as pessoas se abrirem e expressarem suas emoções", acrescentou.

tim6
O cineasta Tim Burton visita o Brasil e curte o Carnaval em camarote na Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro (Foto: Felipe Panfilli/Camarote BOA)

Nascido em Burbank, na Califórnia, o americano contou que sempre teve problemas para se manifestar. "Até hoje sinto que as pessoas têm dificuldade em me entender", disse. Na exposição O Mundo de Tim Burton, isso fica bem claro: as centenas de desenhos apresentadas indicam que a arte era sua forma de expressão. Quando criança, vivia assistindo filmes de terror e lendo histórias assustadoras: "Sempre tive mais medo da vida real do que dos filmes de terror", conta ele.

Tim Burton
O cineasta em coletiva de imprensa, no auditório do MIS (Foto: Julia Flamingo)

Divertido e despojado, o cineasta aplaudiu um elemento da exposição em São Paulo, criado especificamente para esta mostra: o escorregador: "Quero isso em todas as exposições!", brincou. Ele também elogiou a maneira como as obras foram expostas; para o americano, a mostra cumpre sua função quando outras pessoas se inspiram em sua produção para também começar a criar: "A melhor frase que posso ouvir de uma criança é 'Se você consegue eu consigo também'", explica.

+ Saiba tudo sobre a mostra do MIS

Sobre futuros projetos, ele conseguiu (elegantemente) se esquivar de qualquer resposta. Foram mencionados os filmes Alice Através do Espelho e a continuação de Beetlejuice, mas a experiência demonstrada por seus cabelos grisalhos advertiu: "Não falo de futuros projetos: tenho experiência o suficiente para não fazer nenhum tipo de previsão até que eu esteja em um set de filmagem".

No período da noite, o cineasta participa de um evento fechado para convidados do museu, na exposição.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO