Memória

Morre Therezinha Zerbini, ativista pelos direitos humanos

Ícone da resistência durante a Ditadura Militar, fundou o Movimento Feminino pela Anistia, que lutava pela redemocratização do Brasil

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Therezinha Zerbini
Therezinha Zerbini: militante feminina contra a ditadura (Foto: Julia Rodrigues)

Morreu neste sábado (14) a advogada Therezinha Zerbini, aos 87 anos. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o corpo foi velado no Cemitério do Araçá, na Consolação, e levado em seguida ao crematório da Vila Alpina. 

Ativista pelos direitos humanos, Therezinha combateu a ditadura militar e chegou a ficar presa em 1970. Cinco anos depois, fundou o Movimento Feminino pela Anistia, que lutava pela redemocratização do Brasil.

+ Memória: o adeus a Inezita Barroso

Therezinha era viúva de Euryale de Jesus Zerbini, general do exército que fez oposição ao golpe de 1964. Seu cunhado, o médico Euryclides de Jesus Zerbini, foi um dos pioneiros da cirurgia cardíaca em todo o mundo.

A Ordem dos Advogados de Brasil em São Paulo publicou uma nota de falecimento no site da organização. “Therezinha Zerbini teve um papel expressivo ao longo de toda a ditadura militar pela coragem e força que demonstrou em situações difíceis e complexas. É, sem dúvida, um exemplo para nós. Ela escolheu combater o bom combate, lutando pela Justiça e defendendo àqueles que careciam de apoio. Foi uma heroína da resistência”, diz Marcos da Costa, o presidente da OAB SP.

Fonte: VEJA SÃO PAULO