Saúde

Testes com vacina da dengue começam em fevereiro

A estimativa é de que ela seja distribuída na rede pública em 2017

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

 Aedes aegypti zika dengue
Aedes aegypti: transmissor da dengue e do vírus zika (Foto: Folhapress)

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta sexta (29) que os testes com a vacina da dengue, elaborada pelo Instituto Butantã, vão começar no próximo mês. A vacina teve a última fase para testes em humanos liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em dezembro do ano passado e será testada em treze cidades, entre elas São Paulo, Manaus, Belo Horizonte e Recife.

"Já estamos há anos, no Instituto Butantã, trabalhando para ter a vacina contra a dengue. Já teve a fase um, a fase dois e a última fase, que é a três, nós esperamos agora, no mês de fevereiro, fazer as primeiras vacinações de voluntários no Hospital das Clínicas contra os quatro tipos de vírus com apenas uma dose."

+ Fiocruz apura se zika também pode ser transmitido por pernilongo

Ao todo, 17 000 pessoas de todo o país devem participar do estudo em catorze centros de pesquisa. A estimativa é de que a vacina seja distribuída na rede pública em 2017.

Alckmin informou ainda que 250 municípios paulistas receberão um mutirão de combate à doença.  A ação terá como foco criadouros em imóveis públicos e particulares, além de orientações à população. Um mapa interativo será implantando no site da Secretaria Estadual de Saúde para receber denúncias sobre focos do Aedes aegypti.

+ Jornal francês diz que zika e microcefalia devem reacender debate sobre aborto no Brasil

A mobilização será realizada por agentes municipais, profissionais da Defesa Civil, oficiais do Exército, mas também aceita a participação de voluntários, que não vão precisar fazer um cadastro prévio.

Neste domingo (31), doze parques estaduais também receberão ações de combate ao mosquito. Na capital, haverá panfletagem e eliminação de criadouros nos parques Villa-Lobos, Jequitibá, Juventude, Água Branca, Belém, Pomar Urbano, Alberto Löfgren, Candido Portinari e Guarapiranga.

+ Tudo que você precisa saber sobre o vírus zika e a microcefalia

A partir de segunda (1), a população poderá fazer denúncias de pontos de proliferação do mosquito da dengue a partir de uma ferramenta no site da Secretaria Estadual de Saúde. Será um mapa interativo para indicação dos criadouros, que será acessado por gestores dos 645 municípios. Com os dados em mãos, eles vão direcionar ações para os locais indicados pelos moradores.

Casos

Em todo o país, são investigados 3 448 casos suspeitos de microcefalia e 270 já foram confirmados. Segundo o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, havia dezoito casos em investigação em São Paulo até 23 de janeiro.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, David Uip, o número mais atualizado é de 21. "Temos dois bancos de dados. Um federal, onde são registrados todos os casos de microcefalia e o Estado de São Paulo notificou 126 casos. Um segundo banco tenta refinar o dado, tentando vincular a microcefalia o mais proximamente possível ao zika vírus. E nós temos 21 casos."

Uip diz que a pasta está trabalhando para fazer as notificações de forma ágil e que, se o Ministério da Saúde passar novas orientações para aprimoramento das notificações, elas serão seguidas pelo Estado.

Fonte: VEJA SÃO PAULO