MOBILIDADE

Pedalar sem suor: o teste da bicicleta elétrica

VEJA São Paulo avaliou os prós e os contras do serviço 

Por: Larissa Faria - Atualizado em

bike elétrica emoving
Bike elétrica da E-Moving: bateria com autonomia de até 30km (Foto: Larissa Faria)

Pedalar ao sol do meio-dia com 30° C não parece uma ideia muito amigável para quem está a caminho do trabalho ou de algum compromisso e não quer suar. A história muda, porém, se o trajeto for feito com uma bicicleta elétrica. A reportagem de VEJA SÃO PAULO avaliou o serviço da empresa E-Moving*, que opera há um ano na capital, para entender os prós e contras de um serviço que ainda é novidade na cidade. 

+ Um dia de ciclista no metrô

É exatamente essa a vantagem das bikes elétricas: facilitar o transporte de quem não abre mão de pedalar, mas não quer sofrer (nem transpirar) subindo ladeiras e pedalando grandes distâncias. A bicicleta foi retirada no hotel Ibis Budget Paraíso, onde os próprios funcionários do balcão fazem o processo de empréstimo do veículo. Na data de avaliação, duas bicicletas estavam disponíveis. Uma delas tinha banco fixo e, por isso, não era possível regular a altura. A outra estava com um problema no freio, que foi rapidamente solucionado por um funcionário do hotel.

Abaixo, a avaliação do serviço: 

painel bike elétrica
Painel da bike: botão liga/desliga, controlador de velocidade e medidor da bateria (Foto: Larissa Faria)

Pontos positivos

  • O passeio requer pouco esforço: o pneu traseiro é movido pela pedalada do ciclista e o da frente é impulsionado pelo sistema elétrico, o que facilita e torna mais fácil se deslocar em trajetos íngremes. Ou seja, uma boa opção para quem quer transitar de bike para o trabalho ou para compromissos com a roupa intacta e sem a sensação de cansaço. 
  • É mais difícil derrubar uma gota de suor. O cansaço também é claramente menor em comparação com as bikes convencionais.
  • A tolerância de devolução sem cobrança é de 20 minutos, tempo médio para dar uma volta completa (ida e volta) do Ibis Budget Paraíso para a Avenida Paulista.
  • A bateria de lítio promete sustentar trajetos de até 30 quilômetros.
  • É possível regular a velocidade de 5 a 25 quilômetros por hora no painel elétrico (que inclui botão liga/desliga, medidor de nível da bateria e o regulador).
  • Funcionários do hotel instruídos para fazer pequenas manutenções e apresentar a bike e seu modo de uso para os clientes (na data de avaliação, uma das bikes teve um problema no freio, que rapidamente foi solucionado).
  • Cestinha, buzina, capacete e trava de segurança estão inclusas no valor do aluguel.

+ Conheça modelos de bicicletas elétricas

Poderia melhorar

  • No balcão do Ibis Budget Paraíso, foi informado que o pagamento só poderia ser feito em dinheiro. Quando contatada, a empresa informou que o pagamento também pode ser realizado em cartão.
  • Bicicleta e equipamentos inclusos no aluguel (capacete e trava de segurança) devem ser retirados e entregues no mesmo local, prejudicando a mobilidade e a integração com outros meios de transporte.
  • Quando não hospedado no hotel, é necessário que o cliente deixe o RG no balcão e retire ao devolver a bike.
  • O impulso elétrico, às vezes tão forte, causa dificuldade ao frear e requer prática com o equipamento.
  • A buzina tem pouco volume em relação ao trânsito da cidade.
  • Há poucos pontos de retirada (são seis no total, três abertos para empresas e três ao público geral). A E-Moving, porém, tem planos de expandir os pontos.
trava bike elétrica
Trava e capacete estão inclusos no aluguel, que custa 13 reais por hora (Foto: Larissa Faria)

Aluguel mensal e venda de bikes novas e usadas

Para o CEO da startup, Gabriel Arcon, o grande apelo para usar o serviço é para quem quer testar se se adapta ao uso do veículo no cotidiano. Segundo ele, o público que o utiliza o serviço, além de turistas que frequentem a rede de hotéis onde os pontos de retirada e entrega estão instalados, é composto por pessoas que se deslocam para o trabalho ou para universidade.

+ Serviço de aluguel de bicicleta elétrica chega a São Paulo

Os aluguéis mensais saem a partir de 290 reais (pacote de seis meses) ou 350 reais (pacote de um mês) e incluem trava e seguro contra roubo e manutenção. Por mês de uso da bike, o ciclista ganha 100 reais de desconto caso queira comprar a magrela. Bicicletas usadas custam entre 2 500 reais e 3 500 reais. Quem quiser um modelo novinho desembolsa entre 4 000 e 4 500 reais.

Aluguel de bike elétrica: o extrato

Empresa que oferece o serviço: E-moving

Preço: 13 reais por hora de segunda a sexta-feira e 15 reais aos fins de semana (incluso trava de segurança, seguro contra roubo e capacete)

Autonomia: a bateria suporta até 30 quilômetro de pedalada

Onde alugar: Ibis Budget Paraíso, Ibis Budget Jardins ou Ibis Paulista (retirada e devolução no mesmo local)

*Avaliação realizada anonimamente em 12/02/2016

Fonte: VEJA SÃO PAULO