Mistérios da Cidade

Desculpas mais comuns para fugir do teste do bafômetro

As justificativas apresentadas pelos condutores para não passar pelo exame

Por: Mariana Rosário

Policia Militar utiliza novo etilômetro em blitz na Rua dos Pinheiros
Polícia Militar utiliza bafômetro em blitz na Rua dos Pinheiros (Foto: Fernando Moraes)

Crime gravíssimo no Código Brasileiro de Trânsito, dirigir sob o efeito do álcool rende multa de 1 915,40 reais e suspensão da carteira por um ano. A punição vale para o motorista flagrado no bafômetro e para quem se recusa a fazer o teste. Alguns infratores, no entanto, tentam reverter a situação por meio de recursos. Para agilizar o julgamento desses processos, o Detran criou duas juntas administrativas, uma em novembro de 2015 e a outra em março deste ano.

Onde anda Mequinho, ícone do xadrez brasileiro nos anos 70

Doze funcionários são responsáveis por avaliar os 400 pedidos por mês no estado. Em seus quatro primeiros meses, o serviço analisou 336 casos na capital e deferiu apenas dois. Confira abaixo as justificativas mais comuns apresentadas pelos condutores para não passar pelo exame.

“Não quis produzir provas contra mim”

”Pedi exame de sangue, mas negaram”

“O bafômetro não é confiável”

“Estava sob efeito de medicamentos”

“Usei antisséptico bucal com álcool”

“Eu bebi, mas não perdi a capacidade motora"

Fonte: VEJA SÃO PAULO