Política

Tesoureiro do PT é preso pela Polícia Federal

João Vaccari Neto foi detido na manhã desta quarta (15), em São Paulo, durante a nova fase da Operação Lava-Jato

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Vaccari Neto
João Vaccari Neto: tesoureiro do PT é acusado de receber para o partido um porcentual da diretoria de serviços da Petrobras (Foto: Lula Marques/Frame/Folhapress)

O tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, foi preso pela Polícia Federal  nesta quarta (15). A detenção faz parte da 12ª fase da Operação Lava-Jato, que investiga um esquema de corrupção na Petrobras. Ele foi detido em sua casa em São Paulo e será levado ainda hoje para Curitiba.

+ Operação Lava-Jato: quem são e quanto cobram os defensores dos investigados

Vaccari é foco de sete frentes de investigação pela força-tarefa da Operação Lava-Jato. As apurações envolvem o recebimento de propina em obras de refinarias e unidades petroquímicas, em contratos do setor naval para o pré-sal, em negócios com recursos do fundo de pensão dos trabalhadores da Petrobras (Petros) e por enriquecimento ilícito.

A cunhada dele, Marice Correa de Lima, também foi presa. Ela é suspeita de ter recebido dinheiro do doleiro Alberto Youssef. A Polícia Federal ainda cumpriu o mandado de condução coercitiva de Giselda Rousie de Lima, esposa de Vaccari Neto, em casa. Geralmente nesse tipo de mandado, a pessoa é levada a uma Superintendência da PF para prestar depoimento.

+ Polícia Federal detém três ex-deputados em nova fase da Lava Jato

Políticos

Parlamentares da bancada do PT na Câmara dos Deputados foram surpreendidos com a prisão preventiva do tesoureiro do partido. Líderes da bancada avaliam que há uma "espetacularização" da ações do juiz Sérgio Moro, que conduz a operação em Curitiba, mas que ainda assim o sentimento geral é o de que Vaccari Neto deve deixar sua função.

Na quinta (16), a executiva nacional do PT se reunirá em São Paulo. A prisão do tesoureiro deverá ser um dos temas principais do encontro.

+ Confira as principais notícias da cidade

Na Câmara, os líderes avaliam que aumentará a pressão para a saída de Vaccari Neto da Secretaria de Finanças da sigla. "A prisão muda qualitativamente a situação dele. É um cenário novo que levará o diretório a tomar uma decisão", disse o vice-líder da bancada do PT na casa, Afonso Florence (Estadão Conteúdo).

Fonte: VEJA SÃO PAULO