Educação

Termina a greve dos professores municipais de São Paulo

Após 41 dias com os braços cruzados, os grevistas fizeram um acordo com a prefeitura nesta terça-feira (3)

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

Manifestação professores 2375
Protesto dos professores municipais na Avenida Paulista, no dia 20 de maio (Foto: EVELSON DE FREITAS/ESTADÃO CONTEÚDO)

Os professores municipais encerraram nesta terça-feira (3) a greve que começou em 23 de abril. Após 41 dias, a categoria aprovou o fim da paralisação em assembleia realizada no Viaduto Jacareí, na frente da Câmara Municipal, nesta tarde.

Os grevistas aceitaram a proposta da prefeitura, que determinou as datas para a incorporação do reajuste de 15,38%. O valor será adicionado ao salário dos profissionais em três parcelas: maio de 2015, maio do próximo ano e novembro de 2016. 

“A prefeitura concordou em pagar também os dias parados. Nós faremos um calendário de reposição de aulas para os alunos não ficarem prejudicados”, disse o presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal, Cláudio Fonseca.

A prefeitura ainda concordou com um intervalo de quinze minutos para os funcionários que trabalham em creches, segundo Fonseca. 

No dia 9 de maio, o prefeito Fernando Haddad já havia encaminhado para a Câmara Municipal um projeto de lei com o bônus para os professores. Entretanto, a proposta não determinava a data para a incorporação. 

Com isso, a categoria continuou com os braços cruzados até uma definição. Durante esse período, os educadores realizaram assembleias e passeatas pacíficas pela cidade. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO