Shows

Tereza Salgueiro canta temas de Portugal e do Brasil

Intérprete apresenta o espetáculo "Voltarei à Minha Terra", no Teatro Alfa

Por: Pedro Ivo Dubra - Atualizado em

Tereza Salgueiro - 2192
A intérprete, ex-voz do Madredeus: duas apresentações no Teatro Alfa (Foto: Divulgação)

Em 2008, a cantora portuguesa Tereza Salgueiro esteve no Teatro Municipal para mostrar o repertório de “Você e Eu” (2007), seu segundo trabalho-solo. Quase sem sotaque, a ex-voz do grupo Madredeus deu versões para “Maracangalha”, “Pra Machucar Meu Coração” e “O Samba da Minha Terra”, entre outros clássicos da MPB, a “filial” mais vistosa do cancioneiro da antiga metrópole. No ano passado, Tereza partiu em outra direção: no CD “Matriz”, dedicou-se a uma seleta de temas portugueses de todas as épocas. A intérprete traz agora ao Teatro Alfa “Voltarei à Minha Terra”, espetáculo no qual transita, diante de um quarteto, por pedidas de lá e cá.

O novo projeto não é propriamente uma réplica do conteúdo de “Matriz”, embora contenha algumas faixas do álbum, caso de “Acordai”, “Senhora do Almurtão” e “Por Este Rio Acima”. A elas, agrega outras obras lusitanas do século XX. No espírito de recordar a colaboração com músicos brasileiros em “Você e Eu”, Tereza convidou dois deles, João Cristal (piano) e Nailor Proveta (sopros), para uma participação — mas fez segredo das canções brasileiras que vai entoar.

Interessada em novos lugares e sons — em vindas anteriores, assistiu a um show de Jair Rodrigues e visitou o bar de samba Ó do Borogodó —, a cantora acha que desta vez a agenda estará apertada. “Vou tentar arrumar um tempo para ir ao Museu da Língua Portuguesa”, diz. Curiosidade: como considera “Matriz” seu primeiro disco realmente independente (quando lançou “Você e Eu”, ainda havia a perspectiva de voltar ao Madredeus), a artista decidiu trocar o “s” do nome pelo “z”. “Também foi uma forma de homenagear o meu avô materno”, conta. “Ele usava essa grafia antiga nas cartas que mandava da Ilha da Madeira.”

Fonte: VEJA SÃO PAULO