Roteiro

Terça é dia de ir ao Masp de graça: veja as mostras em cartaz

Exposição de Amedeo Modigliani e "Coleção Pirelli/Masp de Fotografia" estão na lista

Por: Redação VEJINHA.COM - Atualizado em

Jeune Femme Assise — Madame Cadorin - Amedeo Modigliani
Óleo sobre tela: 'Jeune Femme Assise — Madame Cadorin' (Foto: Divulgação)

Para aqueles que gostam de curtir a cidade sem colocar a mão no bolso, terça-feira é dia de ir ao mais importante museu de São Paulo, o Masp.

Com cinco boas mostras em cartaz, o passeio fica ainda mais gostoso. Entre os destaques, a exposição de Amedeo Modigliani reúne catorze pinturas e esculturas — além de 23 desenhos — de um dos mais importantes nomes da arte italiana do início do século XX.

Confira esta e outras exibições abaixo:

  • Resenha por Adriano Conter: Morto aos 35 anos, Modigliani (1884-1920) foi um dos mais importantes nomes da arte italiana do início do século XX. Desenvolveu, ao todo, 320 pinturas e 27 esculturas, das quais catorze peças — além de 23 desenhos — integram a mostra Modigliani: Imagens de uma Vida, em cartaz no Masp. Vindas do Instituto Modigliani, de Roma, e de coleções particulares, as obras são exibidas em ordem cronológica, com curadoria do professor francês Christian Parisot. Gravuras de Pablo Picasso e Léonard Foujita, entre trabalhos de outros amigos, ajudam a compor a montagem. O espectador terá a oportunidade de desvendar a personalidade do pintor, conhecido por ser boêmio e galanteador, através de diários, cartas e fotografias. Autodidata, Modigliani criou um estilo simples e de pinceladas rápidas, que se modificou ao longo dos anos e se definiu depois de sua mudança para a França, aos 22 anos. Lá, conviveu com os principais personagens da cena artística parisiense e atingiu o auge em 1917. Dedicou-se principalmente ao retrato. Suas figuras são alongadas, geralmente de pescoço comprido e com grande destaque para os olhos. De 17/05/2012 a 15/07/2012.
    Saiba mais
  • Resenha por Jonas Lopes: Nova edição da tradicional mostra baseada em um acervo iniciado há 21 anos. São dez artistas, no total. Entre os presentes estão figuras consagradas, como o grande Geraldo de Barros e José Medeiros, autor de belos registros de cenários do Rio de Janeiro. Dois contemporâneos sobressaem: Miguel Rio Branco, sempre caracterizado pelo uso de cores saturadas e por imagens de erotismo poético, e Rosângela Rennó, de pegada mais experimental. Prorrogada até 08/07/2012.
    Saiba mais
  • Com 95 obras de Goya, Velázquez, Portinari, Picasso, Renoir, Rembrandt, Van Gogh, Ticiano, Modigliani, Cézanne e Manet, a mostra que faz parte do acervo do Masp celebra a arte do retrato e do autorretrato.
    Saiba mais
  • Versão internacional de uma exposição de 2011 com 89 trabalhos. Apesar de alguns contemporâneos constarem da seleção, caso de León Ferrari e Susumu Endo, o deleite fica por conta dos mestres, a exemplo da excepcional água-forte São Jerônimo em Oração, do holandês Rembrandt, de A Traição de Cristo, do alemão Dürer, e de cinco obras da série Tauromaquia, do espanhol Goya. Destacam-se ainda as formas expressionistas de Max Beckmann e Marc Chagall. De 15/06/2012 a 28/10/2012.
    Saiba mais
  • Muito menos exibidas no Masp do que o acervo de pinturas, as cinquenta peças reunidas revivem grandes momentos da arte escultórica. Destaque para a excelente montagem no subsolo do museu, dividida em núcleos temáticos pertinentes e variados, a exemplo de “nus”, “dança”, “animais” e “casais”. Há desde o elogio clássico da beleza promovido pelos franceses Renoir, Rodin e Degas (inclusive o maravilhoso bronze Bailarina de 14 Anos) até as formas modernas e grotescas criadas por Francisco Stockinger e pelo americano Jim Dine, pouco conhecido e exibido no Brasil. Por fim, a abstração ganha espaço por meio dos trabalhos de Emanoel Araújo, León Ferrari, Arcangelo Ianelli e Alexander Calder (presente com um de seus inimitáveis móbiles). Até 31/10/2012.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO