Cidade

Projeto aprovado permite a regularização do Templo de Salomão

Nova lei determina que empresas que construíram empreendimentos em áreas de interesse social terão de doar terreno na região da mesma subprefeitura

Por: Veja São Paulo e Estadão Conteúdo

Templo de Salomão
Templo de Salomão: maior centro religioso do país (Foto: Fotoarena/Folhapress)

A Câmara Municipal aprovou nessa quinta (2) um projeto de lei que permitirá a regularização do Templo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus. Aprovada em segunda votação, a proposta determina que empresas que construíram empreendimentos imobiliários em áreas de interesse social terão de doar terreno ou lotes na região da mesma subprefeitura onde está a edificação.

+ Detalhes do Templo de Salomão

Foram 39 votos a favor e 3 contra. O projeto é do governo municipal. A lei, que depende ainda da sanção do prefeito Fernando Haddad (PT), vale para obras construídas entre 2004 e 2014.

Templo Universal
Templo de Salomão: igreja foi construída no Brás (Foto: Anderson Chaurais)

A aprovação beneficia diretamente o Templo de Salomão. Parte da obra, que tem 74 000 metros quadrados de área construída e fica no Brás, foi edificada em área de Zona Especial de Interesse Social (Zeis). Durante as negociações com a prefeitura, a direção da igreja ofereceu um terreno no Tatuapé como compensação.

+ Confira as principais notícias

O Templo de Salomão fica na Avenida Celso Garcia, na Zona Leste da cidade. O local foi inaugurado em julho do ano passado. A solenidade contou com a presença de autoridades. Ao custo estimado de 685 milhões de reais, a igreja comporta até 10 000 fiéis sentados. É a maior construção religiosa do país, quatro vezes maior que o Santuário Nacional de Aparecida. (Com informações de O Estado de S. Paulo).

Fonte: VEJA SÃO PAULO