Cultura

Teatro Municipal ganha novo espaço para a confecção de figurinos e cenários

A inauguração da sede de sua central de produção será nos dias 6 e 7 de setembro

Por: Pedro Ivo Dubra - Atualizado em

Onde são feitos os cenários e figurinos de um espetáculo e para onde eles vão depois que as luzes se apagam? Parte dessa curiosidade da platéia será saciada no sábado (6) e no domingo (7), quando o Teatro Municipal inaugura oficialmente a sede de sua central de produção. Além de assistir à ópera Dido e Enéias, do inglês Henry Purcell, o público terá a chance de observar coloridas cenografias num galpão que mais lembra um barracão de escola de samba. Também poderá percorrer um ateliê de costura e um grande closet climatizado onde estão depositados cerca de 40 000 trajes – o mais velho, de 1942. Batizado de Chico Giacchieri, nome de um cenotécnico do Municipal que morreu em 1985, o complexo situa-se no bairro do Canindé e ocupa uma área de 4 200 metros quadrados. Entre agosto de 2005 e dezembro de 2007, a central de produção funcionou na Vila Guilherme, num galpão alugado de 2 640 metros quadrados. Antes disso, os materiais eram amontoados no próprio teatro ou em pontos esparsos da cidade.

Uma montagem mais convencional não combinaria com a cara de depósito e marcenaria do novo centro. Para a direção cênica de Dido e Enéias, ópera sobre um trágico casal da Antiguidade, foi escalado Antônio Araújo, do grupo Teatro da Vertigem. Estreante no universo operístico, ele é conhecido por ambientar suas peças em locais pouco usuais (igreja, hospital e presídio desativados, além do Rio Tietê). A meio-soprano Luisa Francesconi (Dido) e o barítono Leonardo Neiva (Enéias) estão entre os solistas acompanhados pelo Coral Paulistano. Sob a regência de Tiago Pinheiro, uma orquestra de câmara executa a partitura de 1689. "Serão apenas duas apresentações", afirma o maestro Jamil Maluf, diretor artístico do Municipal. "Mas nossa intenção é abrir visitas agendadas ao público."

• Inauguração da Central de Produção Chico Giacchieri com a ópera Dido e Enéias. Rua Pascoal Ranieri, 75, Canindé, 3326-0186. Sábado (6) e domingo (7), a partir das 17h (visitação; a ópera começa às 18h30). R$ 20,00. Ingressos à venda na bilheteria do Teatro Municipal (Praça Ramos de Azevedo, s/nº) a partir da segunda (1º); 10h/19h (seg. a sex.); 14h/17h (sáb.); 9h/17h (dom.).

Fonte: VEJA SÃO PAULO