Teatro

Drama "Rabbit" mostra com exatidão a classe média nascida nos anos 80

Primeiro texto da inglesa Nina Raine para o teatro, montagem é cartaz no Teatro Eva Herz com direção de Eric Lenate

Por: Adriano Conter - Atualizado em

Rabbit
Lilian Damasceno, Fernanda Castello Branco, Julia Ianina e Ricardo Estevam em 'Rabbit': trama ambientada numa única noite (Foto: Bob Sousa)

Primeiro texto da inglesa Nina Raine para o teatro, o drama "Rabbit" faz um retrato preciso da classe média nascida durante a década de 80, a chamada geração Y. Com direção de Eric Lenate, a montagem dá vida a esse grupo por meio de cinco personagens: estão lá o moderninho de calça colorida, o playboy e outros estereótipos. Nenhum, porém, espelha melhor a insegurança desses jovens adultos criados sob a superproteção dos condomínios e das escolas particulares do que a mimada protagonista Bella (as atrizes Julia Ianina e Paula Weinfeld, em revezamento). Infantilizada, ela perde todas as referências quando o pai (papel de Nelson Baskerville) descobre um câncer no cérebro.

+ "Umnenhumcemmil" aborda crise de homem que não sabe mais quem é

+ As melhores peças em cartaz

Na trama, ambientada em uma única noite na casa noturna homônima da peça, a garota comemora seus 29 anos ao mesmo tempo em que aguarda as piores notícias do hospital. Enquanto diálogos vazios sobre sexualidade tomam conta da conversa entre ela, as amigas e dois ex-namorados, momentos de grande emoção resgatados de sua memória costuram o espetáculo.

Revela-se particularmente bonita a cena na qual é reproduzida a gravação de uma entrevista feita pelo pai de Bella com ela ainda pequena. Lilian Damasceno, Fernanda Castello Branco, Jeronimo Martins e Ricardo Estevam completam o elenco.

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO