Saúde

Remédio para tratar H1N1 está em falta nas farmácias

Comercializado como tamiflu, medicamento pode ser encontrado em postos de saúde e hospitais públicos

Por: Mariana Oliveira e Rogério Dias - Atualizado em

tamiflu
O medicamento tamiflu, usado para tratar a gripe H1N1 (Foto: Reprodução)

Após vencer filas em prontos-socorros e conseguir uma consulta de emergência, os pacientes que são diagnosticados com influenza A H1N1 na capital precisam enfrentar outra barreira: a dificuldade de achar o oseltamivir, medicamento comercializado como tamiflu.

+ São Paulo antecipa campanha de vacinação para gripe H1N1

A reportagem da VEJA SÃO PAULO percorreu a Avenida Paulista para checar a disponibilidade do remédio em dez farmácias da região. Em todas elas, o tamiflu estava em falta. O preço médio da medicação de 75 mg é de 50 reais. A fabricante Roche Brasil disse em nota que, durante a segunda quinzena de março, houve aumento inesperado na procura.

"Os estoques relativos especificamente à apresentação de 75mg esgotaram-se rapidamente", informou. "Novos lotes chegarão em abril, mês em que a Roche receberá os produtos especificamente para atender ao potencial enfrentamento da gripe no inverno."

+ Gripe H1N1 mata três vezes mais no estado que em 2015

Uma solução para os enfermos é procurar pelo remédio em postos e hospitais públicos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, todos estão abastecidos e podem ser retirados tanto para o atendimento de receitas do setor público quando do privado. O medicamento integra o programa anual de controle da influenza realizado pelo Ministério da Saúde.

Confira abaixo os endereços visitados na última terça (29):

  • Drogaria São Paulo (Rua Bernardino de Campos, 212 / Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 2215 / Avenida Paulista, 1227 e 2073)
  • Droga Raia (Rua Bernardino de Campos, 158 / Avenida Paulista, 807 e 2053)
  • Farma Ponte (Praça Oswaldo cruz, 33)
  • Drogasil (Avenida Paulista, 995)
  • Onofre (Avenida Paulista, 1257)

Fonte: VEJA SÃO PAULO