Gente

Taís Araújo é alvo de ataque racista na internet

Campanha #SomosTodosTaisAraujo está entre os assuntos mais comentados do Twitter neste domingo (1)

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Taís Araújo
A atriz Taís Araújo foi alvo de ataque racistas racistas (Foto: Reprodução)

A atriz Taís Araújo foi alvo de comentários racistas em mensagens no Facebook na noite de sábado (31). A foto de perfil da artista, publicada no início de outubro, recebeu ataques de diferentes perfis. "Me empresta esse cabelo para eu lavar louça", "Parece um esfregão", "Já voltou para a senzala" e "Entrou na Globo pelas cotas" foram apenas algumas das ofensas dirigidas à atriz.

Taís Araújo
A atriz Taís Araújo foi alvo de ataque racistas racistas (Foto: Reprodução)

Neste domingo (1), a hasthag #SomosTodosTaisAraujo, em solidadriedade à artista, ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter. "É lamentável saber que esse lixo chamado racismo não tem cura", escreveu um fã. "Rainha, inspiração, símbolo da resistência", comentou outro seguidor.

+ Após perder fama e dinheiro, locutuor de rodeio Asa Branca tenta retomar carreira

A atriz não se calou diante dos ataques. No início da tarde deste domingo, ela usou sua página no Facebook para comentar o episódio e adiantou que fará uma denúncia à Polícia Federal. "E eu não vou apagar nenhum desses comentários. Faço questão que todos sintam o mesmo que senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena nesse país", disse.

Taís ainda avisou que não terá medo. "Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça. Sigo o que sei fazer de melhor: trabalhar. Se a minha imagem ou a imagem da minha família te incomoda, o problema é exclusivamente seu!", disse a atriz casada com o ator Lázaro Ramos e mãe de João Vicente, de 4 anos, e Maria Antonia, de 8 meses.

Taís e o marido estão em cartaz no Teatro Faap, com a peça O Topo da Montanha, de Martin Luther King, símbolo da luta pelos direitos civis dos negros.

O Topo da Montanha
Lázaro Ramos e Taís Araújo: comédia dramática de conotação social (Foto: Jorge Bispo)

Por fim, Taís agradeceu o apoio dos fãs que se revoltaram contra o rascismo. "E quero que esse episódio sirva de exemplo: sempre que você encontrar qualquer forma de discriminação, denuncie. Não se cale, mostre que você não tem vergonha de ser o que é e continue incomodando os covardes. Só assim vamos construir um Brasil mais civilizado."

+ Catedral da Sé é pichada após manifestação em favor do aborto

 

As agressões à atriz Taís Araújo lembram o episódio envolvendo a jornalista Maria Júlia Coutinho, garota-do tempo do Jornal Nacional. em julho, Maju, como é conhecida, recebeu ofensas nas redes sociais. Na ocasição, a hasthag #SomostodosMaju também ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter. A polícia identificou um rapaz de 15 anos, morador de Carapicuíba, como um dos autores dos ataques racistas.

 

Abaixo leia a integra do desabafo da atriz

 

"É muito chato, em 2015, ainda ter que falar sobre isso, mas não podemos nos calar: na última noite, recebi uma série de ataques racistas na minha página. Absolutamente tudo está registrado e será enviado à polícia federal. E eu não vou apagar nenhum desses comentários. Faço questão que todos sintam o mesmo que senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena nesse país, além do sentimento de pena dessa gente tão pobre de espírito. Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça. Sigo o que sei fazer de melhor: trabalhar. Se a minha imagem ou a imagem da minha família te incomoda, o problema é exclusivamente seu!Por ironia do destino ou não, isso ocorreu no momento em que eu estava no palco do Teatro Faap com O Topo da Montanha, um texto sobre ninguém menos que Martin Luther King e que fala justamente sobre afeto, tolerância e igualdade. Aproveito pra convidar você, pequeno covarde, a ver e ouvir o que temos a dizer. Acho que você está mesmo precisando ouvir algumas coisinhas sobre amor.Agradeço aos milhares que vieram dar apoio, denunciaram comigo esses perfis e mostraram ao mundo que qualquer forma de preconceito é cafona e criminosa. E quero que esse episódio sirva de exemplo: sempre que você encontrar qualquer forma de discriminação, denuncie. Não se cale, mostre que você não tem vergonha de ser o que é e continue incomodando os covardes. Só assim vamos construir um Brasil mais civilizado.

A minha única resposta pra isso é o amor!"

Fonte: VEJA SÃO PAULO