Conflito judicial

SWU: Ecad cria impasse, mas festival não corre riscos

Polêmica envolve direitos autorais relativos ao evento do ano passado

Por: Bruno Machado - Atualizado em

SWU
SWU: mais de 70 atrações em três dias de evento (Foto: Divulgação)

O Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) trava uma briga com a organização do SWU na Justiça. Em maio, o órgão entrou com ação contra a D + Brasil Entretenimento, responsável pelo evento, para pleitear o pagamento de direitos autorais referentes às músicas executadas no festival em 2010. No ano passado, o SWU fechou um acordo com o Ecad, no qual cederia 9,2% de sua bilheteria. O valor, no entanto, teria sido apenas parcialmente pago, e haveria uma dívida de cerca de R$ 1 milhão de reais com o órgão.

+ Leia tudo sobre o SWU

+ Festivais de música: o que vestir e o que levar na mocilha

Em nota divulgada no início desta tarde (9), o Ecad afirma que aguarda uma posição judicial, mas que não tem interesse em cancelar o SWU, que acontece no próximo final de semana na cidade de Paulínia, interior de São Paulo. “Como pode um evento musical não respeitar os direitos autorais dos compositores? O Ecad não teve alternativas e está tomando as medidas cabíveis na Justiça, que decidirá sobre o caso”, afirma Gloria Braga, superintendente executiva do órgão.

Também através de nota, os organizadores do SWU confirmaram que estão discutindo na Justiça o pagamento dos direitos autorais e que o órgão não tem "qualquer ampago legal" para impedir a realização do festival neste ano.

Fonte: VEJA SÃO PAULO