Astrologia

Adoraria conhecer Dilma, diz astróloga Susan Miller em São Paulo

Fenômeno da internet, norte-americana diz que metade de seus seguidores é de brasileiros

Por: Juliene Moretti - Atualizado em

Susan-Miller-(20)
Susan Miller: bate-papo com a astróloga sobre 2013 (Foto: Rodrigo Zorzi)

Fenômeno na internet desde que começou a publicar suas previsões no site Astrology Zone, com milhares de seguidores pelo mundo, a astróloga americana Susan Miller disse nesta quarta-feira (5), durante visita a São Paulo, que acredita que metade de seus seguidores é de brasileiros e que adoraria conhecer a presidente Dilma Rousseff.

“Dilma nasceu em 14 de dezembro, assim como o Astrology Zone. Adoraria conhecê-la. Ela deve ser ótima”, disse Susan veio à cidade para o lançamento de um kit de boa sorte de uma marca de roupas intímas que leva sua assinatura. O pacote contém lingerie, um pingente com cristal Swarovski e uma previsão astrológica para 2013.

Em um bate-papo com a também astróloga Barbara Abramo, que faz previsões diárias para o jornal Folha de S.Paulo, a americana não poupou elogios ao país. “Os EUA adoram o Brasil e Obama gosta de vir para cá porque queremos saber os segredos de vocês. Espero que trabalhemos mais vezes juntos.”

Questionada sobre os eventuais efeitos de um eclipse solar que deve ocorrer sobre o Brasil e os Estados Unidos em 2013, a astróloga afirmou que será um ano de grandes decisões para o país, que não estará livre dos escândalos políticos.

“Fim do mundo”

Sobre a lendária profecia da antiga civilização maia, que faria uma previsão de fim do mundo em 21 de dezembro deste ano, Susan diz que há um erro na interpretação, mas admitiu que o dia terá uma “quadratura difícil”.

“Os maias não previram o fim do mundo. O lugar onde estava escrito o que iria ocorrer em 21 de dezembro está inelegível. Talvez não seja para a humanidade saber mesmo. A quadratura é difícil e o sol estará bem no meio, por isso, podem ocorrer falhas de eletricidade, por exemplo, o que é grave porque dependemos dela.”

Apple e Facebook

Susan, que também é colunista de publicações brasileiras, como a revista LOLA, afirmou que grandes empresas de internet, como a Apple e o Facebook, poderiam ter evitado prejuízos se tivessem seguido suas previsões.

“Quando a Apple lançou o iPhone 3 era [uma fase de] Mercúrio retrógrado, não recomendável para o evento. Logo em seguida, eles tiveram de fazer uma atualização no aparelho", afirmou Susan. "Já o Facebook deveria ter feito seu IPO [lançamento de ações na Bolsa] alguns dias antes da data que eles escolheram para a ação.”

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Fonte: VEJA SÃO PAULO