Mercosul

Obras de sul-americanos se destacam em exposições na cidade

Mostras reúnem a riqueza e diversidade dos trabalhos de artistas de países vizinhos ao Brasil

Por: Redação VEJINHA.COM - Atualizado em

Leila Tschopp
A acrílica 'Rio Paraná com Gris', da argentina Leila Tschopp (Foto: Divulgação)

Há cada vez menos barreiras entre os povos latinos. Uma prova é a quantidade de artistas sul-americanos que participam de mostras em São Paulo. Apenas na 30ª Bienal de São Paulo (que tem como curador o venezuelano Luis Pérez- Oramas), são 23 deles entre o total de 111 participantes da edição.

Preste atenção aos Coloritmos do venezuelano Alejandro Otero, às pinturas da argentina Leila Tschopp e às máquinas híbridas do colombiano Icaro Zorbar. Conheça a obra desses artistas de países vizinhos:

 

Alejandro Otero

otero1
Exemplar dos chamados 'Coloritmos', do artista venezuelano Alejandro Otero (1921-1990). (Foto: Divulgação)

Nome importante da abstração, Otero (1921-1990) tem exibidos na mostra quarenta dos chamados Coloritmos — pinturas com linhas em preto e branco e pequenas zonas coloridas. Posicionado na história da arte entre o construtivismo e a arte cinética, o venezuelano, muito influenciado por Mondrian, consegue impor um ritmo quase musical às faixas de cores.

Estação Pinacoteca - Até 6/1/2013

 

30ª Bienal de São Paulo

Desenhar no Espaço - Gego - 2192
'Oito Quadrados': escultura de Gego (Foto: Divulgação)

O curador venezuelano Luis Pérez- Oramas reuniu cerca de 2.900 obras de 111 artistas. São 23 brasileiros e 23 sul-americanos. Não perca as instalações do colombiano Icaro Zorbar, que utiliza tecnologia descartada em suas obras, as esculturas de arame e colagens sutis da venezuelana Gego, os relevos de parede do poeta chileno Juan Luis Martínez, e o vídeo Metodologia, do uruguaio Alejandro Cesarco, que tem a literatura como tema.

Pavilhão da Bienal - Até 9/12/2012

Leila Tschopp

Leila Tschopp
A acrílica 'Rio Paraná com Gris', da argentina Leila Tschopp (Foto: Divulgação)

Destaque da cena atual de pintura da Argentina, a artista realiza a primeira individual no Brasil, El Salto. Há uma pintura sobre parede, outra sobre lona (suspensa no teto), um díptico e um tríptico. Desde 2006, Leila desenvolve projetos que relacionam pintura com espaço em diálogo com a arquitetura e a cenografia.

Galeria Transversal - Até 24/11/2012

Fonte: VEJA SÃO PAULO