Exposição

Mostra "Remédio" inaugura Spray Galeria

Especializado em arte urbana, o espaço fica na Vila Madalena

Por: Meriane Morselli

Spray Galeria - Remédio 2214
Pororoca, acrílica sobre tela de Marta Oliveira: um dos 44 trabalhos em exibição (Foto: Divulgação)

Além da Choque Cultural, famosa galeria dedicada à arte de rua localizada em Pinheiros, a cidade ganhou no último dia 9 outro descolado endereço com esse foco. Trata-se da Spray Galeria, na Vila Madalena, fruto da parceria entre o grafiteiro Rui Amaral e o colecionador de arte José de Souza Queiroz. Quatro amigos de Amaral, três deles do coletivo de intervenção urbana dos anos 80 Tupinãodá, foram convidados a produzir trabalhos especialmente para a inauguração. A reunião resultou na mostra Remédio®, com 44 obras, que fica em cartaz até 7 de maio.

Cada um dos artistas teve à disposição uma parede para apresentar suas ideias. Logo na entrada, estão as cinco montagens feitas em compensado de madeira com adesivos e lambe-lambes do hoje cenógrafo José Carratu. Observando-se com um pouco de distância, esses materiais dão forma a figuras como uma caveira ou um cachorro. No lado oposto, foram colocados os quatro sprays sobre tela de Rui Amaral (alguns remetem aos trabalhos da dupla osgemeos) junto de um painel com vinte quadros menores. Carlos Delfino contribui com uma tela, uma escultura e uma réplica de um carro de Fórmula 1 gigante. A peça, montada em armação de ferro e madeira, foi pendurada na vertical e quase chega a tocar o teto e o piso do espaço.

Há ainda os impactantes sprays de Ciro Cozzolino, em alusões bem-humoradas a personagens da Disney, como “Tico e Teço Sinapsis” e “O Pato Despedaçado pelo Amor de Margarida”. Por fim, a também cenógrafa Marta Oliveira, nome ligado ao extinto Ateliê Xarandu, exibe quatro detalhados bordados em papel e cinco coloridíssimas pinturas, a exemplo de “Pororoca” e “Bom Dia”.

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO