Bem-estar

Spa Cidade Jardim funcionará como clube, com mensalidade de 1 200 reais

Localizado no 5º andar do complexo homônimo da incorporadora JHSF, o empreendimento faz ligação entre as nove torres residenciais e o shopping de luxo

Por: João Batista Jr. - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Se a máxima “Deus mora nos detalhes” for aplicada ao Spa Cidade Jardim, o ambiente de 2 650 metros quadrados pode ser considerado um pedacinho do céu. Ali, tudo foi pensado para o bem-estar e o conforto dos paulistanos bem de vida. Localizado no 5º andar do complexo homônimo da incorporadora JHSF, na Zona Sul, o empreendimento faz ligação entre as nove torres residenciais (seis delas já entregues) e o shopping de luxo. Tal como ocorre com um clube, só desfrutará seus serviços quem se tornar associado. É possível escolher entre dois tipos de plano. O mensal sai por 1 200 reais. Aqueles que desembolsarem 35 000 reais (divididos em até 24 vezes) terão direito a cinco anos de uso. “Essa é uma forma de conquistar adeptos por bastante tempo”, diz Malu Pucci, superintendente do Shopping Cidade Jardim. Condôminos dos 322 apartamentos — avaliados entre 2 milhões e 20 milhões de reais — receberão desconto. Pagam 350 reais por mês, para o uso de toda a família. A inauguração está marcada para o dia 6 de abril.

Ambos os contratos permitem o acesso irrestrito aos três complexos do spa, batizados de suíte termal, pavilhão das águas e pavilhão corpo e mente. O primeiro tem sauna finlandesa, banho a vapor e camas com televisor de plasma acoplado. A segunda área tem duas piscinas. Uma de relaxamento e outra de massagens, com jatos ergométricos direcionados para as costas, pernas e pés. Destinado à prática de fitness e pilates, o terceiro impressiona com os quarenta aparelhos da empresa italiana Technogym, que simulam até maratonas. Alguns deles custam 32 000 reais. Massagens (120 reais), tratamentos faciais (150 reais) e corporais (170 reais) são pagos à parte. Esses serviços podem ser feitos nas suítes individuais ou duplas, em que macas, banheiras e esteiras dão vista para a região da Marginal Pinheiros.

Concebido para impressionar um público acostumado com o que há de melhor, o projeto consumiu um investimento de 15 milhões de reais. A decoração clássica em tons cinza e bege é assinada pelo arquiteto Arthur Casas, também responsável pelo desenho das macas e cadeiras de relaxamento. Todo cliente terá acesso a um armário individual de 2 metros de altura, feito de madeira cumaru. “Seguimos os padrões dos spas de luxo internacionais”, diz Tânia Ginjas, diretora do Spa Cidade Jardim. “Há espaço suficiente para qualquer tipo de roupa, seja terno, seja vestido de festa.” Tânia diz ter visitado 500 (isso mesmo, 500!) spas em todo o mundo nos últimos cinco anos para criar o menu de serviços do novo projeto. “Fui, em alguns casos mais de uma vez, ao Japão, Tailândia, Singapura, Vietnã, Indonésia, Estados Unidos, Portugal, Espanha, França...”, enumera. Sua expectativa é atrair 1 400 clientes em doze meses. O público feminino deve corresponder a 70% dos sócios. Estima-se que cada um deles frequente o lugar três vezes por semana e passe ali de duas a três horas. “Vamos ser ponto de encontro de uma turma ligada em qualidade de vida”, acredita Tânia.

Fonte: VEJA SÃO PAULO