Protesto

SlutWalk chega a São Paulo neste sábado

Importada do Canadá, manifestação reivindica respeito às mulheres

Por: Leonam Bernardo - Atualizado em

SlutWalk - Marcha das Vagabundas
A marcha em Melbourne: australianas protestam pelo direito de se vestir como quiserem (Foto: Scott Barbour/Getty Images)

Palco de marchas pelas mais diversas causas, São Paulo ganha mais uma manifestação curiosa no próximo fim de semana, na esteira de outros protestos organizados pelas redes sociais. Neste sábado (4), às 14h, é a vez da SlutWalk, ou  "Marcha das Vagabundas" se traduzido para o português.

O evento é importado do Canadá. A passeata aconteceu pela primeira vez em Toronto, no mês passado, quando 3.000 pessoas foram às ruas protestar após um policial de lá declarar em uma universidade que mulheres devem evitar se vestir como vagabundas, para não ser tornarem vítimas de abuso sexual.

“O Brasil também é um pais machista”, justifica a escritora Solange De-Ré, organizadora da marcha paulistana. “Nós temos uma educação preconceituosa. Acho que está na hora de repensar esses conceitos.” Até agora, mais de 3.800 pessoas confirmaram presença na página do Facebook criada para divulgar a passeata na Avenida Paulista.

A manisfestação já passou pela Argentina, Estados Unidos, Inglaterra, Holanda e Nova Zelândia. Para este sábado, também estão prometidos protestos simultâneos em Los Angeles, Chicago, Edmonton, Estocolmo, Amsterdã e Edimburgo. Em São Paulo, o frio de outono não deve impedir que as manifestantes saiam às ruas com trajes mínimos — a previsão para o dia é que a temperatura oscile entre 12ºC e 19ºC. “Moramos num país tropical, que faz calor. Por que não usar roupas curtas?”, completa De-Ré.

Fonte: VEJA SÃO PAULO