Gastronomia

Festival de pescados é promovido em três restaurantes e um café

Organizado pelo movimento italiano Slow Food, evento reúne endereços que preparam sugestões somente com peixes que não correm risco de extinção 

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Já escolheu seu peixinho hoje? Para satisfazer os fãs de pescados de uma forma sustentável, o movimento italiano Slow Food promove um festival cujas estrelas são as espécies que não correm risco de extinção. Entre sábado (25) e 9 de maio, três restaurantes paulistanos oferecem pratos especiais. No Amadeus, a chef Bella Masano sugere o peixe do dia, que pode ser abrotea ou prejereba ensopada com lula e marisco na panela de barro (R$ 79,00).

+ Confira um roteiro de passeios na Vila Mariana

Amadeus
Amadeus: abrotea ou prejereba ensopada com lula e marisco em panela de barro (Foto: Lucas Terribilli)

Dono do Suri Ceviche Bar, Dagoberto Torres fatia o tiradito de peixe espada com molho de chili verde e cebolinhas assadas (R$ 26,00). Até a churrascaria Varanda entrou no mar. Filho do proprietário Sylvio Lazzarini, o chef Fabio Lazzarini oferece um menu especial (R$ 75,00) composto de escabeche de peixe, para a entrada, seguido da sororoca ou corvina marisqueira acompanhada de risoto de moqueca capixaba.

+ Desvende o nome de alguns pratos de restaurantes da cidade

No sábado (25), o Café Aprendiz faz menu de jantar em cinco etapas (R$ 130,00) intitulado "Como Como Territórios". Marca a estreia uma série realizada pela Escola Como Como de Ecogastronomia, um núcleo do Slow Food na capital. A preparação cabe ao quinteto Juan Pilotto, Gabriel Zei, Daniela Lisboa, Cassia Cazita e Fabiana Sanches, que tem como inspiração a região de Cananeia, no litoral sul do estado. Entre os pratos, está o peixe azul-marinho cozido com banana-nanica verde na panela de ferro, o que dá um tom azulado ao prato. Outra sugestão é o caldo de conchas com ostras da Cananeia acompanhado de mandioca frita. Nas mãos de Rogério Habbit, as bebidas são cobradas à parte.

O café também põe em cartaz uma receita diferente a cada dia, utilizando prejereba, peixe-espada ou a corvina marisqueira como ingrediente. Na segunda, a opção é o filé de peixe ao molho tailandês acompanhado de purê de batata, berinjela, tomate e salteado de alho-poró e erva-doce (R$ 26,90). Na terça, é preparado no vapor e vem regado por com molho de gengibre e laranja. Tem ainda a escolta de salada de feijão-fradinho com laranja, pimentão e batata ao molho de mostarda. Custa R$ 27,90.

Slow Fish_Aprendiz_Lucas Terribili
Café Aprendiz: o quibe de peixe com nozes e coalhada seca, acompanhado de salada mix de verdes e legumes à julienne ao molho de iogurte é servido na quarta por R$28,90 (Foto: Lucas Terribili)

Às quartas-feiras, a pedida é o quibe de peixe com nozes e coalhada seca servido com salada de folhas verdes e legumes em tira ao molho de iogurte (R$ 28,90). Na quinta, o pescado aparece ao forno na companhia de legumes e recebe um toque de coentro e leite de coco mais a companhia de arroz (R$ 27,90). O escondidinho com salada de folhas verdes e legumes em tiras ao molho de mostarda (R$ 27,90) está no menu de sexta.

+ O que Marília Gabriela, Sheik, Murilo Rosa, Wolf Maia e Mauro Naves têm em comum?

Taioba Gastronomia - PF Caiçara
O Taioba Gastronomia, em Camburi, serve o PF caiçara com carapau empanado na farinha de fubá, arroz de taioba, pirão e banana assada (R$ 28,00) (Foto: Divulgação)

No restaurante Guaiaó, na Baixada Santista, o chef André Ahn propõe um menu degustação em cinco etapas (R$ 149,00). Das sugestões, uma é especial para o evento: o peixe perna-de-moça ao molho de maçã verde e erva-doce com feijão manteiguinha ao aroma de cogumelos mais cenoura confitada na manteiga de garrafa.

O Taioba Gastronomia, do chef Eudes Assis em Camburi, uma das praias de São Sebastião, vai de PF caiçara. É feito de carapau empanado no fubá e vem com arroz de taioba, pirão e banana assada (R$ 28,00). O Taioba fica na Rua Tijucas, 55, Sertão de Camburi, tel. (12) 99774-6686. Como em São Paulo, o Slow Fish também prossegue até 9 de maio nas casas litorâneas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO