Autossuficiente

Sites incentivam a prática do "faça você mesmo"

Prática comum nos Estados Unidos ganha espaço no Brasil

Por: Pedro Katchborian - Atualizado em

Sites faça você mesmo - Oficina de Casa
"Oficina de Casa": tutoriais de restauração e produção (Foto: Divulgação)

Até pouco tempo atrás, pintar a casa sozinho ou instalar uma nova tomada eram práticas reservadas a quem desejava economizar com um pintor ou eletricista. Hoje, no entanto, o “faça você mesmo” ganha status de hobby e dá ares de diversão a serviços que parecem complicados à primeira vista, mas podem ser simples se bem ensinados.

+ Delivery de bebidas e outros serviços úteis + Saiba onde consertar de tudo

O termo surgiu nos Estados Unidos e faz parte da cultura “maker”, dedicada a quem curte criar projetos e dispositivos por conta própria. No Brasil, um dos incentivadores dessa cultura é Marcelo Aguilera, 47 anos, um dos idealizadores do site “Oficina de Casa”. Com tutoriais em vídeo para a construção de mesas, brinquedos e até estantes, entre outros artigos, o administrador e arquiteto é uma luz no fim do túnel para quem está afim de se aventurar nessa onda.

Lampada - Faça Você Mesmo
Marcelo Aguilera, um dos idealizadores do "Oficina de Casa": incentivo ao hobbie americano (Foto: Divulgação)

O projeto está no ar desde outubro do ano passado e hoje conta com 25.000 acessos mensais, número que tem crescido mês a mês. “As pessoas têm medo de errar, de se machucar. Além de haver um certo preconceito em relação a produtos feitos em casa, que teriam uma qualidade muito inferior aos produzidos no mercado convencional. Mas isso está mudando. O interesse no assunto é cada vez maior."

Outra evidência da moda “faça você mesmo” no país é a criação dos “makerspaces”. Neles, grupos de pessoas se juntam em espaços colaborativos para o desenvolvimento de projetos. Em geral, os próprios integrantes bancam o aluguel do local, pagam as contas e levam ferramentas e material para compartilhar. O site Laboratório de Garagem, que também é uma rede social para inventores, oferece um espaço gratuitamente, desde que o que for realizado no local seja postado no site posteriormente. Se a pessoa não quiser colocar sua ideia ou invenção na página, paga uma taxa mensal de 50 reais (25 reais para estudantes).

Outro site que segue a linha colaborativa é o “Do It Yourself Brasil”, no ar desde 2010. O criador da página, o engenheiro André Sarmento, 38, reúne 2.500 inscritos, com projetos que vão de de marcenaria à culinária, ainda que em número reduzido. “Há o receio de que outros roubem a ideia e de que produto final fique ruim. Estamos pensando em algumas promoções para mudar essa resistências e motivar os usuários a postarem mais suas invenções. É a melhor forma de trocar experiências.”

Onde aderir ao “faça você mesmo”

Oficina De Casa:

O que tem: tutoriais de produção e restauração

Exemplos de projetos: carrinho de brinquedo, jogo de pinball e armário de compensado

Invente Aqui

O que tem: rede colaborativa com diferentes projetos

Exemplos de projetos: twix gigante, suporte para celular e luminária de rosas

Do It Yourself Brasil

O que tem: rede colaborativa com diferentes projetos

Exemplos de projetos: reforma de sandália, luminária RGB e controle arcade para PC

Espaços colaborativos “makerspace”

Laboratório de Garagem:

O que tem: rede social para inventores, com local para o desenvolvimento de projetos

Garoa Hacker Clube:

O que tem: eventos semanais para aprender eletrônica, além de um espaço para o desenvolvimento de projetos

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO