Contra o aumento da tarifa

Site da Secretaria Estadual de Educação é hackeado por manifestantes

Ação ocorreu durante esta madrugada. Conteúdo oficial deu lugar a mensgens de incentivo aos protestos

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

Site da Secretaria Estadual de Educação invadido por hackers
Imagem do site à 1h: invasão hacker (Foto: Reprodução)

O site da Secretaria Estadual de Educação foi "hackeado" durante a madrugada desta quinta (13), por volta da 1h, contra o aumento da tarifa dos transportes públicos. No lugar da página oficial do governo, manifestantes publicaram fotos e mensagens de apoio e incentivo aos protestos.

"Exigimos a redução da tarifa! Os supostos representantes devem ouvir a vontade do povo! Basta de políticos inócuos! Estamos acordados! Seus dias de fartura estão contados!", dizia a primeira mensagem, seguida de uma foto dos protestos no centro. Logo abaixo, outro recado convidava para mais uma manifestação, nesta quinta (13): "Dia 13 de junho, 17h no Teatro Municipal de São Paulo! Todos às ruas!".

Pouco menos de uma hora após o ataque, o conteúdo publicado por hackers foi substituído por uma mensagem de "Página em manutenção". Até agora, no entanto, o site oficial segue fora do ar.

Em nota, a Secretaria afirmou que "repudia o ato de vandalismo" provocado por "autoria desconhecida". "O fato gera prejuízo para mais de 4 milhões de alunos, 300 mil servidores, entre professores e funcionários da rede estadual de ensino paulista, além dos pais e da sociedade em geral, que utilizam a ferramenta como importante meio de informação e serviço. A Pasta registrará boletim de ocorrência e já está tomando todas as providências cabíveis para o pronto restabelecimento do sistema", completa.

Procurados pela reportagem, integrantes do Movimento Passe Livre (MPL), que tem organizado protestos contra o aumento da tarifa na cidade, negam a relação do grupo com a invasão do site.

Fonte: VEJA SÃO PAULO