Restaurantes

Basilicum e a nova cara das cantinas paulistanas

Ordem agora é valorizar as receitas originais italianas, ainda que haja uma ou outra modificação

Por: Arnaldo Lorençato - Atualizado em

Tortelli recheado de batata ao ragu de pato (R$ 39,00)
Tortelli recheado de batata ao ragu de pato (R$ 39,00) (Foto: Fernando Moraes)

Terceira casa aberta pelo restaurateur Daniel Marciano na Rua Tupi, a pequena Basilicum Trattoria se soma a um conjunto de restaurantes responsáveis por uma transformação das cantinas paulistanas, entre eles La Grassa, Pecorino e Allegro Cucina. Ficaram no passado as massas cozidas em excesso e os molhos cheios de creme de leite, como o romanesca, inventado em São Paulo. A ordem agora é valorizar as receitas originais italianas, ainda que haja uma modificação aqui e outra acolá.

 + Arnaldo Lorençato: pizzaria Speranza do Bixiga ganha novas salas

+ Os melhores ambientes de restaurantes na cidade

No cardápio da Basilicum, encontram-se pratos clássicos e mais modernos, todos preparados com simplicidade. Ricos em temperos e ervas, agradam ao paladar. O ossobuco (R$ 42,00) tem cozimento lento até ficar macio, quase desmanchando ao toque da faca. De guarnição, ganha polenta mole. O capítulo dedicado às massas revela-se melhor. Uma delas, o tortelli recheado de batata vem regado por ragu de pato (R$ 39,00). Esse macarrão inspira-se no varenique, uma variação de ravióli encontrada no Leste Europeu e difundida na cidade pela colônia judaica. De entrada, prove a berinjela gratinada sob uma capa generosa de parmesão e mussarela (R$ 16,00).

Não faltam bons doces para o arremate. O clássico tiramisu (R$ 14,00) surge em um copo para que se possam observar as camadas do pavê. Mais tentador, o biscoito de chocolate recheado de brigadeiro chega junto de sorvete de creme (R$ 14,00). A reduzida carta de vinhos inclui o chileno Domaine Conté Carmenère 2009 (R$ 65,00) e o italiano tinto Le Monache D.O.C. 2008 (R$ 94,00), produzido por Michele Chialo no Piemonte.

 Comida ✪✪✪ | Ambiente ✪✪✪ | Atendimento ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO