Gente

Silvio Santos, o patrão na berlinda

Depois de todos os problemas do Banco PanAmericano, o dono do SBT encerra o ano como a personalidade mais admirada no Brasil

Por: Alvaro Leme, Leonam Bernardo e Ricky Hiraoka

Paulistanos de 2011 - Silvio Santos
Silvio: a turbulência financeira não afetou a popularidade (Foto: Roberto Nemanis/SBT)

Silvio Santos pretendia se aposentar da televisão em 2011, meio século depois de iniciar a carreira artística. Adiou o pijama após a descoberta de sucessivas fraudes dos executivos do Banco PanAmericano, uma de suas empresas. O rombo de estimados 2,5 bilhões de reais, descobriu-se mais tarde, era ainda maior: 4,3 bilhões de reais — muitíssimo dinheiro mesmo para quem tem costume de arremessar cédulas em formato de aviãozinho a suas colegas de trabalho.

+ Conheça os paulistanos que deram o que falar em 2011

+ Lívia Andrade, a pupila de Silvio Santos

Chegou-se a falar em venda do SBT, o mais célebre pedaço do império construído pelo apresentador e empresário, hipótese que deixou de ser comentada depois de janeiro, quando Silvio vendeu o PanAmericano. O comprador foi o banco BTG Pactual, que assumiu a dívida em troca de 51% das ações com direito a voto e terá dezessete anos para pagá-la.

O empresário também vendeu as 121 lojas do Baú da Felicidade à rede Magazine Luiza por 83 milhões de reais. Toda essa crise, no entanto, parece não ter afetado tanto a imagem de um dos maiores ídolos nacionais. Segundo pesquisa divulgada em dezembro pelo site da revista Forbes, Silvio Santos é a personalidade mais admirada no Brasil.

Fonte: VEJA SÃO PAULO