Esporte

Silvia Taioli ensina mulheres a jogar snooker

Tetracampeã paulista de snooker e comentarista dos canais ESPN, a paulistana é também professora

Por: Sandra Duarte - Atualizado em

Silvia Taioli sempre teve um jeito meio moleque. Nascida em Interlagos, na Zona Sul, aos 12 anos sagrou-se campeã estadual de bicicross. "Foi na época do filme E.T. - O Extraterrestre e eu me sentia uma super-heroína", lembra. Mais tarde, sua paixão passou a ser o kart. Durante quatro anos participou de corridas no autódromo do bairro. No fim da adolescência, foi estudar engenharia química na Faculdade de Engenharia Industrial (FEI), em São Bernardo do Campo. Com 1,74 metro, acabou integrando o time de vôlei da faculdade. Em 1992, após um ano de formada, decidiu abandonar pranchetas e tubos de ensaio para continuar competindo. A modalidade escolhida? Snooker, aquele jogo de mesa de origem britânica em que dois ou mais competidores se enfrentam para encaçapar sete bolas coloridas.

Hoje com 43 anos, Silvia é o principal nome da sinuca feminina no país. Como jogadora, foi tetracampeã paulista e é a atual vice-campeã brasileira. Árbitra da Confederação Brasileira de Sinuca, desde 2005 atua como comentarista do programa Billiards, transmitido pelos canais pagos ESPN. É dona de uma fábrica de mesas e equipamentos para o esporte. A maior parte de seus rendimentos, no entanto, vem da atuação como professora. De segunda a domingo, ela pode ser vista ensinando os segredos de suas tacadas certeiras em casas de snooker onde as mulheres são bem-vindas (veja quadro). Cobra em média 80 reais por uma hora de aula particular. Anda sempre maquiada e com roupas da moda. "Não é porque jogo sinuca que tenho de me portar como um homem", diz ela, que namora há um ano e meio.

Autora de um manual sobre o esporte, a sinuquista garante que, após oito horas de aula, qualquer mulher pode encarar uma disputa sem correr o risco de passar vexame. "O melhor argumento para convencê-las a jogar é que em uma hora de sinuca queimam-se 250 calorias", conta. No Tati Snooker Show, na Avenida Santo Amaro, onde dá aulas às terças, ela conquistou o respeito dos colegas. "Silvia ajuda a popularizar a sinuca feminina em São Paulo", diz Francisco Clemente Pinto, o seu Tati, dono do bar. O cantor e compositor Toquinho, frequentador da casa, também se derrete em elogios. "Ela dá tacadas melhor do que muitos homens e é sem dúvida a jogadora mais bonita e elegante do país", afirma.

De tempos em tempos, Silvia é convidada para prestar consultoria em programas de tevê e filmes. Em 2006, ajudou o cineasta Philippe Barcinski a criar o cenário e todas as jogadas que aparecem no longa Não por Acaso, em que o galã Rodrigo Santoro interpreta um jogador que fabrica e restaura artesanalmente mesas de bilhar. "Silvia serviu de inspiração para a construção do personagem", conta Barcinski. "Ela tem um estilo de jogo tecnicamente perfeito e muito bonito."

Onde elas são bem-vindas

Aldeia do Taco

Rua Coelho Lisboa, 461, Tatuapé, 2925-1357

Atlanta

Rua Faustolo, 434, Lapa, 3871-1632

La Rocca Snooker Bar

Praça das Rosas, 1, Alphaville, 4191-7144

Tati Snooker Show

Avenida Santo Amaro, 1308, Vila Nova Conceição, 3044-5325

Whiskrytorio

Rua Padre Leonardo, 272, Jardim Aeroporto, 5032-1410

Fonte: VEJA SÃO PAULO