Shows

Siba troca a rabeca pela guitarra em novo disco

Cantor recifense mostra o bom resultado do álbum "Avante" no Sesc Vila Mariana

Por: Carol Pascoal - Atualizado em

Siba 2255
O cantor e compositor Siba: trabalho-solo se afasta do regionalismo (Foto: Talita Miranda)

Ao lado do conjunto Fuloresta, o cantor, compositor e instrumentista recifense Siba, de 42 anos, levou ritmos como coco de roda e frevo, além de elementos tradicionais da Zona da Mata pernambucana, a outras regiões do país. Juntos, lançaram dois ótimos discos: “Fuloresta do Samba” (2003) e “Toda Vez que Eu Dou um Passo o Mundo Sai do Lugar” (2008), ambos bem-sucedidos por aqui. Em seu novo trabalho, “Avante” (2012), o artista trilha um caminho diferente, e se afasta um pouco do regionalismo. Contribuiu para as mudanças a coprodução do guitarrista Fernando Catatau, do grupo cearense Cidadão Instigado.

+ Confira os melhores shows que rolam na cidade

+ Emicida dá dicas de baladas que tocam vinil na cidade

+ Conheça seis novas cantoras da cidade

No CD (e no palco do teatro do Sesc Vila Mariana), Siba troca a rabeca pela guitarra, instrumento que já tocava nos tempos da Mestre Ambrósio, uma das principais bandas de manguebeat — na qual também era vocalista. “A forma como escrevi as músicas está ligada à poética popular do Nordeste, então não chego a romper com os trabalhos anteriores”, diz. As faixas, contudo, mostram-se mais pessoais.

Siba se apresenta à frente de Antônio Loureiro (teclados e vibrafone), Leo Gervázio (tuba) e Serginho Machado (bateria). Aparecem no repertório “Ariana”, “Preparando o Salto”, “Brisa” e “Cantando Ciranda na Beira do Mar”. São esperadas ainda as versões renovadas de “Canoa Furada” e “A Bagaceira”, que ele já havia gravado com o Fuloresta em um EP não comercializado.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO