SÃO PAULO 462 ANOS

E, de repente, um ídolo surgiu no Metrô...

Dez coisas incríveis que aconteceram quando Chitãozinho & Xororó, Nasi, Luiza Possi, MC Gui e outros artistas soltaram a voz em dez estações. A surpresa foi criada por VEJA SÃO PAULO em homenagem ao aniversário da cidade. Assista ao vídeo

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

O que você faria se estivesse passando pelo Metrô e, de repente, um ídolo começasse a soltar a voz do seu lado? Na última sexta (23), milhares de passageiros viveram essa experiência em estações de diversas linhas, de manhã até a noite.

As dez apresentações-surpresa foram promovidas por VEJA SÃO PAULO em homenagem à cidade, que completa 462 anos nesta segunda (25). A dupla sertaneja Chitãozinho & Xororó cantou Evidências na Estação da Sé, por volta das 17h. Quem estava na República foi pego de surpresa com Roberta Miranda relembrando seu maior sucesso, A Majestade e o Sabiá.

+ Confira vídeos com trechos das apresentações

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Também participaram Luiza Possi, Paulo Ricardo, Nasi, Supla, Paula Lima, Beatles para Crianças e Tiago Iorc. No Instagram, Roberta Miranda afirmou ter ficado "honrada" com o convite. Para Paula Lima, a ação da revista "foi uma linda homenagem aos 462 anos de São Paulo". 

Confira dez situações que aconteceram nas apresentações:

1 - A cantora Roberta Miranda fez sua apresentação-supresa na Estação República. Entoou A Majestade e o Sabiá e logo atraiu rapidamente dezenas de fãs. Até que aconteceu algo inusitado: um passageiro circulava com um violão e se aproximou. A estrela sertaneja se entusiasmou e o show se transformou em dueto. "Aqui está a mínima contribuição para tudo o que São Paulo fez por mim".

robertamiranda2
A diva do sertanejo ganhou companhia em sua apresentação (Foto: Reprodução/VEJASP)

2 - A Estação Sé parou com Chitãozinho & Xororó. A dupla cantou sucessos como Evidências sob as câmeras de dezenas de celulares.

chitaoexororo2
Chitãozinho & Xororó na Sé (Foto: Reprodução/VEJASP)

3 - A banda era Beatles para Crianças, mas os adultos é que pararam para ver. Teve gente bem emocionada.

Beatles para crianças
Apresentação da banda Beatles para Crianças na Estação Trianon (Foto: Reprodução/VEJASP)

4 - O roqueiro Nasi surpreendeu ao cantar o clássico de Adoniran Barbosa, Trem das Onze.

nasi
Nasi cantou um samba de Adoniran na Estação Ana Rosa (Foto: Reprodução/VEJASP)

5 - O funkeiro MC Gui, ídolo dos adolescentes, foi a atração na Estação Tatuapé. Antes mesmo de começar a cantar, acabou reconhecido por uma multidão de jovens que o cercaram. Os seguranças precisaram organizar a aproximação, mas o cantor, atencioso, posou para fotos.

mcgui
Não faltou fã para tirar selfies com MC Gui na Estação Tatuapé (Foto: Reprodução/VEJASP)

6 - Luiza Possi fez uma das apresentações mais emocionantes. Convocou o público a entoar a música Romaria, de Renato Teixeira,  na Estação Paraíso. Também puxou o coro de Oh! Happy Day.

luizapossi
Luiza Possi fez o público cantar Romaria em coro (Foto: Reprodução/VEJASP)

7 - Escalado para soltar a voz na Trianon-Masp, Paulo Ricardo inovou no roteiro: subiu até a entrada da estação, em plena Avenida Paulista na sexta-feira à tarde, e cantou Rádio Pirata.

pauloricardo
Paulo Ricardo na estação Trianon (Foto: Reprodução/VEJASP)

8 - Paula Lima também se apresentou na Estação Trianon-Masp e posou para muitas selfies. Acabou fazendo o show mais extenso da série, com diversas canções.

paulalima2
Fã faz selfie com Paula Lima (Foto: Reprodução/VEJASP)

9 - O ídolo teen Tiago Iorc levou seu violão para Estação Paraíso. Foi o mais assediado pelas garotas, que sabiam de cor as letras que entoou.

tiagoiorc2
Tiago Iorc na Estação Paraíso (Foto: Reprodução/VEJASP)

10 - Supla surgiu na Estação Santa Cecília. Nas selfies feitas ao lado dele, muitas caretas e brincadeiras.

supla
O roqueiro Supla na Santa Cecília (Foto: Reprodução/VEJASP)

+ Dez lugares não tão óbvios que todo paulistano deveria conhecer

+ Bruna Lombardi: a gente precisa de amor em Sampa

+ Os paulistanos que tatuaram o amor que sentem pela cidade

Fonte: VEJA SÃO PAULO