Decoração

Shoppings verdes são opção para quem ama jardinagem

Centros comerciais como o Tatuapé Garden agrada quem gosta de lidar com a terra

Por: Nana Caetano - Atualizado em

Há alguns anos, os paulistanos que gostavam de lidar com flores e plantas tinham poucas opções além de madrugar na Ceagesp quando precisavam comprar vasos, terra, adubo, ferramentas, mudas e sementes. Para suprir essa carência, surgiram na cidade os chamados shoppings verdes, grandes lojas de jardinagem com estacionamento coberto, manobristas na porta, seguranças, cafés bacanas e ar-condicionado. Inaugurado em abril na Avenida dos Bandeirantes, o Tatuapé Garden 2 é o maior do gênero, com 16.000 metros quadrados. Filial de uma loja aberta em 1999 no Tatuapé – com a metade do tamanho –, impressiona não só pelas dimensões como pela organização. O piso térreo é ocupado por corredores largos onde ficam tesouras, cortadores de grama e adubos. No 1º andar, mesas, sofás e guarda-sóis dividem espaço com um charmoso café. Ao todo, estão à venda 10 000 itens, entre os quais 800 espécies de plantas, que chegam a 3 000 variações. Há desde vasinhos de calancói por 95 centavos até palmeiras que não saem por menos de 6 000 reais. "Nos fins de semana, recebemos 2 000 pessoas e até 1 500 carros", diz Cleusa Alves de Paula, antiga dona da Cleusa Presentes, responsável pela ala de decoração do mini-shopping. "É um programa para toda a família."

Menor, o Garden Center Morumbi (5.000 metros quadrados) investe em forração e temperos. É especializado ainda em plantas para áreas internas, como árvores-da-felicidade e bambus da sorte, atual coqueluche das lojas verdes. "Como estamos em uma região cheia de prédios, não nos dedicamos tanto a plantas de jardim", afirma Luciano Kimura, um dos sócios do empreendimento. A Natus Verde, na Vila Leopoldina (2.450 metros quadrados), é famosa pelas trepadeiras, pelas gramas e pelas muitas opções de vasos de material como cerâmica e concreto.

De olho nesse nicho, o Uemura Flores e Plantas, que desde 1998 funcionava em um galpão de 700 metros, inaugurou na última terça um espaço de 5 000 metros quadrados na Vila Leopoldina. O forte do lugar são as flores de corte, como rosas, antúrios e gérberas fresquinhas. Mesmo no endereço antigo, aos sábados eram vendidas ali até 1 000 dúzias de rosa de oitenta variedades a um preço entre 3,50 e 25 reais a dúzia, dependendo do tamanho da haste, da procedência e da cor. Outra flor bastante procurada atualmente é o copo-de-leite colorido, chamado callas, disponível em versões como roxo-berinjela, laranja e verde. Custa entre 18 e 24 reais a dúzia. "O mercado de flores está em crescimento na cidade", acredita o proprietário Toshihiko Uemura. "É um reflexo da busca por qualidade de vida e bem-estar."

• Garden Center Morumbi. Avenida Guilherme Dumont Villares, 317, Morumbi, Tel. 3772-3001. www.gardencentermorumbi.com.br.

• Natus Verde. Rua Manuel Velasco, 140/168, Vila Leopoldina, Tel. 3644-6256.

• Tatuapé Garden. Avenida Salim Farah Maluf, 2211, Tatuapé, Tel. 6193-5000; e Avenida dos Bandeirantes, 5900, Planalto Paulista, Tel. 5591-5555. www.flor.com.br.

• Uemura Flores e Plantas. Avenida Engenheiro Roberto Zuccolo, 284, Vila Leopoldina, Tel. 3641-7940.

Fonte: VEJA SÃO PAULO