Especial

Sobe número de restaurantes nos principais shoppings

Empreendimentos na capital ampliam o cardápio de opções gastronômicas; no último ano, foram abertos pelo menos dez casas badaladas nos centros de compras daqui

Por: Sophia Braun - Atualizado em

Piselli Sud - restaurante no Shopping Iguatemi
Piselli Sud: nova atração do Iguatemi (Foto: Mario Rodrigues)

Até pouco tempo atrás, comer em shopping significava fazer uma refeição em um fast-food. Aos poucos, porém, vão ganhando espaço nos empreendimentos da capital cardápios mais caprichados.

+ Pedestres são as maiores vítimas do trânsito em São Paulo

No último ano, foram abertos pelo menos dez bons restaurantes nos centros de compras daqui. Muitos deles são filiais de casas badaladas, a exemplo do Piselli Sud, inaugurado há cerca de um mês no Iguatemi. Diferente da matriz, nos Jardins, a segunda empreitada do restaurateur Juscelino Pereira, erguida ao custo de 2 milhões de reais, põe a culinária do sul da Itália em evidência, com foco nos pescados. O negócio ocupou o ponto onde funcionava o Gero Caffè.  

+ Shoppings atraem consumidores com programas de lazer e cultura

+ Onde comer e beber nos shoppings da cidade

Para aumentar a oferta, alguns empreendimentos têm substituído lojas de roupa e decoração por restaurantes. A terceira unidade do Coco Bambu na capital, com inauguração prevista para a metade de novembro, estende-se por uma área de quase 2 000 metros quadrados no 2º andar do Market Place. Antes disso, havia por ali quatro butiques. “As pessoas cansaram um pouco do esquema das praças de alimentação e querem agora comer melhor”, entende o sócio Denis Blanco.

O cardápio, composto principalmente de frutos do mar, será o mesmo das unidades de rua, na Vila Nova Conceição e no Jardim Anália Franco. A expectativa é receber 35 000 clientes por mês. Em dezembro, a rede estreia no 1º piso um café, com tapiocas doces e salgadas.  

Coco Bambu - camarão
Camarões jangadeiro, do Coco Bambu: R$ 147,70 a porção para três pessoas (Foto: Tadeu Brunelli)

Entre os fatores que atraem restaurantes aos principais templos de consumo da cidade estão o fluxo mais intenso de pessoas, sem intervalo entre almoço e jantar, e a segurança. “Os shoppings passaram a oferecer incentivos comerciais como redução no valor do aluguel”, diz Guilherme Vilazante, sócio do Sarrasin, nos Jardins. Em novembro, o francês especializado em galettes, os crepes de trigo-sarraceno, dará início à expansão com a abertura de sua primeira filial, no Shopping Vila Olímpia. “Em 2016, levaremos a marca para outros dois empreendimentos, ainda não definidos”, completa Vilazante.

+ Rua Amauri contabiliza o fechamento de quatro casas neste ano

O Ici Brasserie, do chef Benny Novak em parceria com a Cia Tradicional de Comércio, foi pelo mesmo caminho. Depois de investir no JK Iguatemi, aterrissou no Market Place, em junho, e no início do próximo mês chegará ao VillaLobos. Está prometida para o mesmo período a quarta franquia do L’Entrecôte de Paris, conhecido pelo bife de contrafilé fatiado e guarnecido de fritas, no Cidade Jardim.  

O luxuoso shopping da Marginal Pinheiros, aliás, transformou-se em reduto da boa mesa. Cerca de cinquenta estabelecimentos se espalham pelo edifício, da sorveteria Dri Dri ao Parigi Bistrot. A casa francesa do Grupo Fasano, aberta em abril, fez uma adaptação para oferecer um menu mais acessível. No Cidade Jardim, um combo com entrada, prato principal e sobremesa custa 85 reais, metade do custo médio de uma refeição no Parigi, a “matriz”, localizado na Rua Amauri.

MoDi - empório no Shopping Pátio Higienópolis
O empório do MoDi: pratos do cardápio embalados a vácuo para viagem (Foto: Mauro Holanda)

Estratégia semelhante foi utilizada pelo Manioca, aberto em março no Iguatemi. Trata-se de um filhote do Maní, no Jardim Paulistano, premiado como melhor contemporâneo pela última edição especial VEJA COMER & BEBER. Servido apenas na filial, o hambúrguer com queijo gruyère, cebola e tomate confitados, maionese defumada mais salada ou fritas sai a 43 reais.  

Nem só de endereços sofisticados é composto o novo cardápio gastronômico dos centros de compras. Desde novembro, o Food Hall, no Cidade Jardim, reúne mais de vinte estandes de alimentação em 1 200 metros quadrados. Está ali o Sofá Café, com matriz em Pinheiros. No embalo, o Santana Parque Shopping lançou, em junho, o Armazém Santana, com seis atrações. Fizeram sua estreia na Zona Norte a Casa Mathilde, que prepara ótimos doces portugueses, e o Boteco Blá, formato despojado do bar-balada do Itaim Bibi.

+ Shopping JK Iguatemi terá feira de orgânicos

Conhecido por oferecer pratos saborosos a preços atraentes, o italiano MoDi criou um empório na filial aberta em junho no Shopping Pátio Higienópolis. Somente nesse endereço podem ser encontradas receitas do chef Diogo Silveira embaladas a vácuo, em porções individuais, para aquecer em casa.

MENU EXCLUSIVO

Receitas encontradas apenas nos centros de compras

Coco Bambu: tapiocas doces e salgadas, a exemplo da recheada de carne-seca e catupiry (de R$ 15,00 a R$ 28,00)

Manioca: hambúrguer com queijo gruyère, cebola e tomate confitados mais salada ou fritas (R$ 43,00)

Parigi Bistrot: ovo benedict (R$ 45,00) de gema mole com brioche e salmão defumado

Piselli Sud: linguado grelhado com presunto de Parma, acompanhado de caponata de legumes (R$ 75,00)

Fonte: VEJA SÃO PAULO