Cidades

Sem-tetos deixam Cine Marrocos em reintegração de posse

Segundo a Polícia Militar, a desocupação aconteceu sem conflitos e começou por volta das seis horas da manhã de sábado (15)

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

cine marrocos
Fachada da sala em 1951: filme com Orson Welles em cartaz, decoração árabe e 2 000 poltronas (Foto: LEON LIBERMAN)

As cerca de 600 famílias de sem-teto que ocupavam o prédio do antigo Cine Marrocos, na região central, deixaram o local na manhã deste sábado (15) durante uma reintegração de posse acompanhada pela Polícia Militar. Segundo a corporação, a desocupação ocorreu sem conflitos e começou por volta das seis horas.

A reintegração foi determinada no fim de agosto pelo juiz Emílio Migliano Neto, da 7ª Vara da Fazenda Pública da capital. A primeira ordem para desocupar o prédio, que deveria ter sido cumprida ainda em agosto, foi suspensa a pedido da Prefeitura porque os ocupantes do edifício ainda não tinham assistência social.

+ Acompanhe as notícias da cidade

cine marrocos
PM faz operação no Cine Marrocos (Foto: Renato S. Cerqueira/Estadão Conteúdo)

Em setembro, havia cerca de 300 famílias no edifício, que aos poucos começaram a esvaziar o imóvel. A reintegração não foi concluída porque os moradores tiveram dificuldades de sacar dinheiro de auxílio-aluguel, por causa da greve dos bancários. O prédio, de doze andares, será reformado para abrigar a sede da Secretaria Municipal de Educação.

O principal grupo de moradia que ocupava o prédio era o Movimento Sem-Teto de São Paulo (MSTS). Em agosto, uma megaoperação da Polícia Civil desmontou um esquema de tráfico de drogas feito pelo movimento em parceria com o Primeiro Comando da Capital (PCC).

De acordo com a Missão Paz, organização da Igreja Católica que mantém a Pastoral dos Migrantes, o prédio chegou a abrigar vários estrangeiros: 253 imigrantes e refugiados de 25 nacionalidades que vieram para São Paulo nos últimos três anos.

Fonte: VEJA SÃO PAULO