Mistérios da Cidade

São Paulo tem deficit de letras

Acervo de livros para adultos nas bibliotecas municipais caiu 13% em cinco anos. A maioria dos distritos da capital não atinge a meta da Unesco

Por: Maurício Xavier [com reportagem de Carolina Giovanelli, Flora Monteiro, Marcos Lauro e Pedro Henrique Araújo]

Biblioteca Mistérios 2247
Prateleiras mais vazias nas bibliotecas municipais: acervo de livros para adultos caiu 13% em cinco anos (Foto: Fernando Moraes)

O acervo de livros para adultos nas bibliotecas municipais caiu 13% em cinco anos: dos 2,2 milhões existentes em 2006, sobrou 1,9 milhão em 2010, segundo pesquisa realizada pela ONG Rede Nossa São Paulo. O sumiço se deve a fatores como falta de devolução e deterioração. A meta da Unesco é de duas obras por habitante.

+ Conheça livrarias com cantinhos especiais para um café

+ Livraria Cultura: conheça o livreiro preferido dos famosos

+ Roteiro dos sebos em São Paulo

Na capital, esse índice é de 0,22 e só dois distritos atingem o patamar mínimo: Sé e Liberdade, com 16,59 e 2,6. O alto número da Sé é explicado pela presença da Biblioteca Mário de Andrade, com 320.272 volumes, combinada à pequena população, de 19.464 moradores. O levantamento não inclui os dez bosques de leitura que funcionam em parques nos fins de semana e as 39 bibliotecas dos CEUs. Segundo a prefeitura, foram investidos 11,3 milhões de reais na compra de 546.767 títulos entre 2005 e 2011.

LIVROS POR HABITANTE Índice dos melhores distritos

Sé: 16,59

Liberdade: 2,60

Pari: 1,85

Lapa: 1,44

Santo Amaro: 1,43

Tatuapé: 1,10

Alto de Pinheiros: 0,79

Mooca: 0,79

Consolação: 0,79

Socorro: 0,75

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO