Roteiro

São Paulo Cia. de Dança anuncia temporada e programa de assinaturas

Venda de pacotes, que custam R$ 75,00, já começaram. A companhia completa cinco anos e contabiliza mais de 300 apresentações

Por: Livia Deodato - Atualizado em

Cena de Gnawa, de Nacho Duato, da SPCD
Cena de 'Gnawa', do espanhol Nacho Duato, que agora faz parte do repertório da SPCD (Foto: Alceu Bett)

Comemorando cinco anos de existência, a São Paulo Companhia de Dança terá um ano cheio pela frente. Criada e mantida pelo Governo do Estado de São Paulo, o grupo já trabalha em remontagens e novas criações internacionais, além de se preparar para uma turnê europeia ainda no primeiro semestre. Paralelamente, vai oferecer ao público um programa de assinaturas no valor de R$ 75,00, que dá direito a cinco espetáculos ao longo do ano (R$ 15,00 cada um). A venda já começou e é realizada por meio do site Ingresso Rápido.

Serão encenadas seis obras ao longo de 2013. O alemão Marco Goecke criará uma peça inédita (é dele também Supernova, agora no repertório do grupo), que tem estreia marcada para abril na Alemanha e o italiano Giovanni de Palma recriará Romeu e Julieta, a primeira montagem narrativa da companhia. Por sua vez, Nacho Duato (espanhol criador de Gnawa) vai montar Por vos Muero, de 1996, peça que une a música espanhola dos séculos XV e XVI aos movimentos da dança clássica e contemporânea.

+ São Paulo Cia. de Dança apresenta três novas coreografias

Além disso, Petite Mort, do tcheco Jirí Kylián, ganhará releitura para compor a temporada de dança do Teatro Alfa. Para finalizar, haverá duas novas criações na segunda edição do Ateliê de Coreógrafos Brasileiros, uma que já está sendo montada por Luiz Fernando Bongiovanni (estreia em junho, no Teatro Sérgio Cardoso) e outra de Ana Vitória Freire (prevista para dezembro, no mesmo teatro).

Supernova, de Marco Goecke, para SPCD
'Supernova', do alemão Marco Goecke, que agora prepara uma peça inédita para a companhia (Foto: Wilian Aguiar)

O projeto Figuras da Dança, que já conta com 21 documentários sobre personalidades do meio, terá continuidade com mais quatro artistas: Cecília Kerche, primeira bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro; Hugo Travers, bailarino e maitrê de balé; Eva Schul, criadora e intérprete de dança contemporânea; e J.C Violla, coreógrafo, ator e bailarino.

Desde o fim do ano passado, a companhia também administra o Dança em Rede, que apelidam de "a Wikipedia da dança". No site são reunidos verbetes sobre escolas, obras, personalidades, companhias e grupos. Qualquer interessado pode incluir um novo item, que passará pelo crivo da SPCD. O site já conta com 250 nomes.

Luiza Lopes e Samuel Kavalerski, da SPCD, Bachiana n 1, de Rodrigo Pederneiras
'Bachiana nº 1', dirigida por Rodrigo Pederneiras, será reapresentada em 2013 (Foto: Wilian Aguiar)

Atualmente 41 bailarinos integram a companhia. Uma nova audição será realizada em maio, inclusive na Europa e na Argentina, com o objetivo de "repatriar" dançarinos que foram trabalhar no exterior por falta de oportunidades, segundo a diretora da SPCD, Inês Bogéa. "Temos uma média de 200 candidatos por vaga. Mas é uma competição companheira, onde todos se ajudam porque sabem que o talento depende de cada um", diz.

Sobre a futura sede da SPCD, o Complexo Cultural da Luz, ainda está aberto o processo de licitação para seleção da empresa gerenciadora da obra. A previsão é de as obras tenham início entre o fim de 2013 e começo de 2014 e que o espaço seja lançado entre o fim de 2016 e o começo de 2017.

Fonte: VEJA SÃO PAULO