memória

Santos e Palmeiras voltam a se enfrentar em decisão depois de 56 anos

Clássico vai reunir torcedores na Vila Belmiro neste domingo (3)

Por: Mauricio Xavier

Santos - Palmeiras
Lance da partida de 1959, no Pacaembu: os dois rivais disputando uma taça é cena rara (Foto: Divulgação)

Neste domingo (3), Santos e Palmeiras fazem a segunda partida da final do Paulistão na Vila Belmiro. Acostumados a levantar títulos estaduais — 22 do Verdão e vinte do Peixe —, os clubes não se encontravam em uma final do tipo havia 56 anos. A ocasião anterior foi em 1959, quando os dois terminaram empatados com 63 pontos. O troféu foi disputado em melhor de 4 pontos (naquela época, a vitória valia 2).

Santos - Palmeiras
O atacante Romeiro (de frente, com a bola): o autor do gol que garantiu o título alviverde (Foto: Divulgação)

+ Arena do Palmeiras está fora das Olimpíadas

+ 35 coisas que só quem é de Santos vai entender

As duas primeiras jornadas acabaram empatadas, por 1 a 1 e 2 a 2. A terceira ocorreu já em 1960, no dia 10 de janeiro, no Pacaembu. O Santos abriu o placar, mas o Palmeiras virou com Julinho Botelho e Romeiro, garantindo o caneco. A galeria de craques dos times (Pelé, Pepe, Zito e Pagão vestiam branco, enquanto Djalma Santos, Zequinha, Chinesinho e Julinho Botelho trajavam verde) rendeu ao confronto o apelido de Clássico da Saudade, uma referência ao belo futebol.

Fonte: VEJA SÃO PAULO