Drinque importado

Sangrias espanholas para refrescar os dias quentes

Conheça receitas variadas do drinque e saiba onde encontrá-las na cidade

Por: Sophia Braun - Atualizado em

Sangria do Adega Santiago
No Adega Santiago: sangria clássica à base de vinho tinto (Foto: Divulgação)

Basta sol raiar um pouco mais forte para o chopinho gelado e a popular caipirinha voltarem com tudo às mesas dos bares e restaurantes. Em São Paulo, porém, as duas bebidas não reinam sozinhas. Encontram-se por aqui drinques dos mais variados sotaques, e igualmente refrescantes, a exemplo da típica sangria espanhola.

+ Descubra bares de inspiração espanhola

+ Vinhos leves e refrescantes para os dias quentes

Trata-se de uma combinação leve e saborosa de vinho tinto, frutas e gelo. À versão clássica pode-se acrescentar ainda refrigerante de limão, água gaseificada e licor, entre outros ingredientes menos convencionais. “Receita de sangria é igual a feijão de mãe, cada uma é de um jeito, tem um toque especial”, explica Juliano Valese, chef do Torero Valese, no Itaim Bibi. “Até mesmo na Espanha, dependendo da região, ela pode variar", compara o cozinheiro.

Coquetéis semelhantes preparados com espumante ou vinho branco — neste último caso são conhecidos como clericó — também costumam ser chamados de sangria.

+ Culinária da Espanha invade São Paulo

Independente do nome e da base etílica, listamos abaixo dez endereços que oferecem boas receitas do aperitivo espanhol:

Adega Santiago

Misto de bar e restaurante ibérico, propõe a sangria clássica à base de vinho tinto. A bebida é incrementada por maçã verde, morango, abacaxi, kiwi, laranja, refrigerante de limão, Cointreau e conhaque. A jarra de cerca de 1 litro custa R$ 59,00. A de meio litro sai por R$ 41,00.

Brown Sugar

O cardápio deste badalado restaurante italiano reúne três sugestões do drinque, cada uma preparada com um tipo de vinho. A apelidada de sugar red (R$ 63,00 a jarra) corresponde à receita clássica, à base de tinto. Maçã verde, morango, limão-siciliano, laranja, gengibre, licor e refrigerante de limão complementam. A sugar yellow (R$ 65,00) leva vinho branco, laranja, pera, carambola, maçã, alecrim, licor de pêssego e refrigerante de limão. Pelo mesmo preço, a versão feita com rosé aparece incrementada por morango, amora, uva rubi, maçã, tangerina, cravo e Grand Marnier.

Clos de Tapas

Não são apenas os comes que recebem uma abordagem moderna por aqui. A criativa sangria, por exemplo, chega à mesa desmontada. Em dois copos são dispostos rum, licor de pêssego, Schweppes, calda de maracujá, esferas de açaí e frutas, como lichia, manga e “grapefruit” (ou toranja). O vinho tinto, ingrediente-chave do drinque, é servido à parte. Cabe aos clientes fazer as devidas misturas. Custa R$ 47,00 para duas pessoas.

Sangria do Torero Valese
Sugestão do espanhol Torero Valese: sangria à base de vinho branco (Foto: Marcelo Kura)

Donostia

Neste bar de inspiração espanhola, a sangria é servida em jarras. As de vinhos tinto e branco recebem três frutas mais um tipo de xarope produzido na casa à base de Cointreau, vodca, Martini, água e açúcar. Custam R$ 39,00. A versão preparada com cava (espumante espanhol) leva maçã, laranja, uva e geleia de morango. Sai por R$ 69,00.

Gràcia

Grande atração do cardápio do lugar, a sangria aparece de 22 maneiras diferentes, preparada com vinho tinto, branco ou rosé, além de saquê, cachaça e espumante. Esta última bebida é a base do drinque apelidado de reus de gaudí (R$ 51,00 meio litro; R$ 87,00 a jarra de um litro), composto de morango, framboesa macerada, uva, Cointreau e amaretto.

La Tapa!

Primeiro bar espanhol do Tatuapé, o cardápio propõe quatro receitas de sangria servidas em jarras. A clássica de vinho tinto (R$ 32,90 meio litro; R$ 58,90 um litro) recebe frutas picadas, conhaque, Cointreau, sucos de limão e laranja, xarope de açúcar e club soda. Pelo mesmo preço, elabora uma versão à base de espumante e outra de vinho branco. Uma forma abrasileirada do drinque leva cachaça Busca Vida (R$ 38,90 meio litro; R$ 68,90 um litro).

Praça São Lourenço

O endereço da Vila Olímpia propõe a tradicional sangria de vinho tinto incrementada por frutas, curaçau blue e refrigerante de limão. O clericó, versão da bebida preparada com vinho branco, tem a mesma receita. A taça sai por R$ 17,00 e a jarra, por R$ 56,00. O drinque apelidado de cardinal recebe espumante, tangerina, pêssego e refrigerante de limão. Custa R$ 21,00 (taça) e R$ 59,00 (a jarra).

Sancho Bar y Tapas

Novidade na região do Baixo Augusta, propõe duas variedades do drinque para acompanhar os petiscos de inspiração espanhola. A sangria de vinho tinto (R$ 26,00; 500 mililitros) leva maçã e laranja. Já a preparada com branco (R$ 24,00; 500 mililitros) inclui ainda morangos na receita. Se servidas em taça custam R$ 7,50 e R$ 7 respectivamente.

Torero Valese

O endereço de inspiração espanhola oferece três versões de sangria, servidas em jarras generosas de pouco mais de 2 litros. As receitas à base de vinhos tinto ou branco custam R$ 49,90. Por mais vinte reais, prove o drinque preparado com cava, espumante típico do país europeu. Quem preferir doses menores, oferece a bebida em taça (R$ 15,90 a R$ 19,90).

Venga!

Recém-chegado do Rio de Janeiro, o bar de inspiração espanhola propõe três receitas de sangria. A jarra com um litro do drinque preparado com vinhos tinto ou branco custa R$ 39,00 e R$ 37,00 respectivamente. Um pouco mais cara, a versão à base de espumante rosé e morangos sai por R$ 59,00. Há opção de pedir um volume menor da bebida, com 500 mililitros.

Fonte: VEJA SÃO PAULO