Educação

Reitores da USP, Unesp e Unicamp congelam salários de professores

Alto índice de compromentimento das universidades com a folha de pagamento motiva decisão

Por: Redação VEJASÃO PAULO.COM

Marco Antonio Zago - terraco 2357
Marco Antonio Zago, reitor da USP (Foto: Rodrigo Dionisio / Frame)

Professores e funcionários técnico-administrativos da USP, Unesp e Unicamp terão seus salários congelados por causa da crise das entidades. A decisão foi divulgada pelo Cruesp (Conselho dos Reitores da Universidades Estaduais Paulistas) e veta qualquer reajuste aos servidores.

De acordo com o conselho, a medida foi tomada porque os gastos com salários vêm compromentendo a saúde financeira das três universidades. Na USP, 104,22% do orçamento é destinado para a folha de pagamento. Na Unicamp e na Unesp, os percentuais são de 96,52% e de 94,47%, respectivamente.

O Cruesp vai agendar para próxima semana uma nova reunião com o Fórum das Seis, sindicatos e representações estudantis das três universidades, na qual será discutido o congelamento dos salários. 

O repasse do governo estadual para o custeio das universidades paulistas corresponde a 9,75% da arrecadação do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços).

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO