Profissão

Saiba onde contratar a sua doméstica

A quem recorrer quando as indicações dos amigos não bastam

Por: Manuela Nogueira [Colaborou Carolina Giovanelli] - Atualizado em

Isabella Velletri Home Staff 2216
Isabella Velletri, da agência Home Staff: entrevista de uma hora com as candidatas (Foto: Fernando Moraes)

SÓ PAGANDO

“Você sabe servir à francesa?” Essa foi uma das perguntas ouvidas por Jesuína de Jesus durante triagem de agência de domésticas. Em tese, receber uma profissional que passou por avaliação de suas qualificações está entre as vantagens de recorrer aos recrutadores especializados. Na prática, porém, como as domésticas estão em falta, nem mesmo as empresas se dão mais ao luxo de aplicar uma seleção muito rigorosa.

 

Para atraí-las, a Veritas deixou de exigir um curso de capacitação. Já a Home Staff estuda oferecer um alisamento capilar como brinde para as candidatas. Por isso, com a peneira menos fina, é preciso redobrar a cautela. Isabella Velletri, sócia da Home Staff, cita como diferencial da empresa a aplicação de um teste psicológico para analisar o perfil das aspirantes. Além de checarem as referências e levantarem atestado de antecedentes criminais, as agências têm como grande ponto positivo arranjar rapidamente várias candidatas para entrevista. Em geral, elas cobram de comissão o equivalente ao primeiro salário e dão garantia de sessenta dias. Ou seja, dentro desse período é possível trocar de funcionária sem ônus.

 

SÓ REZANDO

Maria Augusta Bruschini - Paróquia Santa Teresa de Jesus 2216
Maria Augusta Bruschini, da Paróquia Santa Teresa de Jesus: "Faço o link entre patroas e domésticas" (Foto: Fernando Moraes)

Faz pelo menos dez anos que a Paróquia Santa Teresa de Jesus, no Itaim, serve como ponto de encontro de domésticas em busca de patroas e patroas em busca de domésticas. Quem está à frente desse trabalho voluntário é a dona de casa Maria Augusta Bruschini. “Resolvi fazer um link entre as minhas amigas que tinham dificuldade em encontrar uma boa funcionária e as dezenas de mulheres que apareciam na igreja pedindo emprego.” Todas as terças de manhã, em média quinze contratantes aparecem no local. Elas fazem fila e contam qual perfil de profissional estão procurando. Do outro lado da sala, quase trinta trabalhadoras ficam sentadas à espera de uma entrevista. “Por semana, umas quatro mulheres são contratadas.”

 

Para participar do projeto, elas têm de trazer boas referências das antigas patroas. “Encontrei minha última babá aqui, mas sempre é preciso ter cuidado”, diz a advogada Mônica Simas de Lima. Esse serviço de colocação é tradicional em São Paulo. Há mais de trinta anos, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Moema, e o Centro de Assistência Social da Paróquia Nossa Senhora da Salette, em Santana, realizam o mesmo trabalho.

 

AGÊNCIAS

■ Alô Babá. Rua Apeninos, 930, cj. 24, Paraíso. Tel. 5081-7006. Taxa de 1.000 a 1.500 reais.

■ Home Staff. Avenida Morumbi, 8411, cj. 23, Brooklin.Tel. 5041-2108. Taxa de 120% do salário.

■ Kanguruh. Avenida Roque Petroni Junior, 1089, cj. 908, Morumbi. Tel. 3033-5908. Taxa de 850 a 990 reais.

■ Prendas Domésticas. Rua Borges Lagoa, 26, Vila Mariana. Tel. 3878-6400. Taxa de 100% do salário.

■ Rei do Lar. Avenida Bosque da Saúde, 146, cj. 108, Saúde. Tel. 2894-4289. Taxa de 100% do salário.

■ Unire. Rua Domingos de Morais, 1730, Vila Mariana. Tel. 5575-6300. Taxa de 900 a 1.400 reais.

■ Veritas. Rua Arizona, 220, Brooklin. Tel. 5041-5011. Taxa de 100% do salário.

PARÓQUIAS

■ Paróquia Nossa Senhora Aparecida. Avenida Ibirapuera, Praça Nossa Senhora Aparecida, Moema. Tel. 5052-4919. Taxa opcional de 30 reais revertida para projetos sociais. Segundas (das 13h30 às 16h)

■ Paróquia Nossa Senhora da Salette. Rua Doutor Zuquim, 1746, Santana. Tel. 2959-0371. Taxa de 5 reais. Terças (das14h às 16h)

■ Paróquia Santa Teresa de Jesus. Rua Clodomiro Amazonas, 50, Itaim. Tel. 3168-8323. Não cobra taxa. Terças (das 9h às 11h)

Fonte: VEJA SÃO PAULO