CRISE HÍDRICA

Sabesp vai manter retirada de água do Cantareira

Agência Nacional de Águas desistiu de reduzir em 26% o limite de exploração do sistema após um pedido da companhia 

Por: Veja São Paulo

Cantareira Represa de Atibainha
(Foto: Luis Moura/ Folhapress)

Após pedido feito pela Companhia de Saneamento Báscido do Estado de São Paulo (Sabesp), a Agência Nacional de Águas (ANA) desistiu reduzir a partir de novembro em 26% o limite máximo de exploração do Sistema Cantareira para atender a região metropolitana. Segundo os especialistas responsáveis pela decisão, a medida não compromete a situação do manancial e evita novos problemas no sistema de abastecimento na Grande São Paulo. 

+ Sistema Cantareira sofreu "transição catastrófica", aponta estudo

Em julho, a ANA e o Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo (DAEE) determinaram que a Sabesp reduzisse a retirada de água do sistema de 13,5 mil litros por segundo para 10 mil litros por segundo, o equivalente a 9 bilhões de litros no mês. As informações são do jornal O Estado de São Paulo. A medida ajudaria a recuperar o manancial no início do período chuvoso -- e foi tomada porque a estatal havia prometido iniciar, até outubro, a transposição de água da Billings para o Sistema Alto do Tietê, o que diminuiria a dependência da capital do Cantareira.

Cantareira
Represa de Jacareí, que integra o sistema Cantareira (Foto: Nilton Cardin/Folhapress)

A Sabesp, no entanto, solicitou que os órgãos gestores revissem a medida no começo de outubro. Diante do cenário de estabilidade do Cantareira, que começou o mês com um estoque de água maior do que havia há um ano, fato que não ocorria desde 2010, Por isso, os gestores entenderam que seria melhor manter a exploração do sistema inalterada. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO