Sabesp quer usar a 2ª cota do volume morto do Cantareira

Órgãos reguladores analisam solicitação para exploração da reserva técnica; Capacidade das represas do sistema atingiu nível de 6,4% nesta sexta-feira (03)

Por: Redação Veja São Paulo

Volume morto - Cantareira
Sete bombas são utilizadas para captar a água do volume morto da represa Jaguari/Jacareí (Foto: Fábio Lemos Lopes)

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) solicitou aos órgãos reguladores autorização para o uso da segundo cota da reserva técnica (volume morto) do Sistema Cantareira. Até então, a companhia só tinha o aval da Agência Nacional de Águas (ANA) e do Departamento de Água e Esgoto do estado de São Paulo (DAEE) para fazer as obras de captação dos 106 bilhões de litros abaixo das comportas.

+ Represa Atibainha tem mais 5 dias de volume morto

O Cantareira abastece hoje 6,5 milhões de pessoas na Grande São Paulo, mas opera com 6,4% da capacidade desde sexta-feira (3). Os reservatórios não registram aumento desde maio. O pedido para uso da segunda cota do volume morto foi feito em 27 de setembro, junto com a entrega de um plano de contingência aos órgãos reguladores, segundo a Sabesp.

+ Volume morto: tire suas dúvidas sobre a qualidade da água

Dois dias após o envio do documento “Projeção de Demanda – Sistema Cantareira”, a companhia solicitou nova data para fazer correções e incluir outros estudos. O prazo máximo para entrega é segunda-feira (6). A ANA depende dos dados para analisar o pedido de nova exploração da reserva técnica.

A companhia não divulgou data para o início da captação e informou que ela será feita apenas se for necessário, mas as obras de instalação das bombas já estão prontas. Os 106 bilhões de litros de água vão elevar em 10,7 pontos percentuais a capacidade das cinco represas, de acordo com a Sabesp.

 

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO