CRISE HÍDRICA

Sabesp diz que 53% dos moradores reduziram o consumo de água

Além disso, novembro registrou queda no índice de clientes que gastaram mais

Por: VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

sem-agua
Bônus tem o objetivo de incentivar a população a evitar o desperdício (Foto: Lucas Lacaz Ruiz/A13/Folhapress)

O porcentual de moradores que conseguiram ganhar o bônus na conta de água para quem reduz o consumo aumentou. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (8) pel a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

+ Paulistanos mudam rotina para driblar a falta de água

Em novembro, primeiro mês em que entrou em vigor as novas faixas do benefício, 53% dos consumidores diminuíram em 20% ou mais o gasto e conquistaram o desconto, segundo a Sabesp. Em outubro, esse porcentual tinha sido de 50% e, em setembro, de 49%.

Conforme a empresa, o mês de novembro registrou também pequena queda no índice de clientes que subiram o consumo. No mês passado, 24% dos consumidores elevaram os gastos de água; em setembro e outubro haviam sido 25%. Já a fatia daqueles que reduziram o consumo, mas não conseguiram atingir o bônus foi de 23% em novembro, contra 25% em outubro e 26% em setembro.

+ Faixa de pedestres em “X” é instalada no centro de São Paulo

"O resultado da adesão dos moradores foi uma economia de 4 100 litros de água por segundo. É um volume suficiente para abastecer cerca de 1,2 milhão de pessoas - a população somada de Diadema e São Bernardo do Campo", informou a empresa. Em outubro essa economia fora de 3 600 litros por segundo.

A Sabesp lembra que o bônus dá desconto de 30% na conta de água para quem reduz o consumo em 20% ou mais, sempre em relação à média de fevereiro de 2013 a janeiro de 2014.

+ Confira as últimas notícias

Em novembro começou a valer a nova forma de bônus, que amplia o benefício para aqueles que economizarem a partir de 10%. A medida tem o objetivo de incentivar a população a evitar o desperdício e contribuir para a garantia do abastecimento.(Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO