Roteiro

Pinheiros reúne casas clássicas e hamburguerias moderninhas

Entre as opções no bairro está o descolado Meats, escolhido o melhor hambúrguer gourmet da cidade no especial "Comer & Beber" 2013

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Quem buscava uma hamburgueria moderna em Pinheiros não encontrava muitas opções. Era preciso recorrer a bairros vizinhos para provar sanduíches com toques sofisticados em ambientes transados. Desde julho de 2012, no entanto, quatro novas lanchonetes surgiram na região como alternativas descoladas às tradicionais Oregon e Hamburguinho, ambas na Rua dos Pinheiros.

+ Itaim Bibi é o paraíso dos hambúrgueres

Estão na mesma rua a Meat Chopper, que oferece ótimas porções para partilhar, e o Meats, comandado pelo badalado chapeiro Paulo Yoller (ex-Butcher’s Market) em parceria com o chef Dudu Borger, do Le French Bazar, responsáveis pelo melhor hambúrguer gourmet da cidade, segundo os críticos da edição especial do "Comer & Beber" 2013 (leia mais aqui)

Com matriz no Brooklin, a Original Burger ganhou uma filial no Alto de Pinheiros. De inspiração americana, está instalada desde julho de 2011 em um pequeno centro comercial na Avenida Diógenes Ribeiro de Lima.

Conheça abaixo a rota do hambúrguer em Pinheiros, do tradicional ao sofisticado: 

CLÁSSICOS DO BAIRRO

Hamburguinho: esta tradicional lanchonete se resume a um balcão com bancos ao redor da chapa. Os sanduíches podem ir do básico cheeseburger ao cheese salada bacon com ovo. Milk-shake de chocolate e fritas são indispensáveis para acompanhar.  

Oregon: ocupa o mesmo imóvel de esquina desde a abertura, em 1967. No cardápio, chamam atenção os preços salgados, que destoam da simplicidade do lugar. Aposte em pedidas simples, caso do tradicional cheese salada. Para abrir o apetite, vão bem as crocantes batatas portuguesas. A saborosa maionese temperada é uma atração à parte

Chez Burger - Hambúrguer de 200 gramas com gruyère no pão macio: R$27,00
Chez Burger: aberta até a madrugada, de quarta a sábado (Foto: Mario Rodrigues)

NOVIDADES TRANSADAS

Chez Burger: no lugar de um salão grande e fechado, o Grupo Chez optou por servir os lanches na rua mesmo, apenas com um balcão virado para a calçada, onde ficam poucas mesas e bancos, ao lado do Bar Secreto. A microcozinha de 20 metros quadrados é decorada como se fosse um food truck, aquele furgão que os americanos adaptam para servir todo tipo de comida de rua. Única pedida, o hambúrguer secreto feito de um bife de 200 gramas grelhado, queijo gruyère, compota de cebola-roxa e relish de pepino ralado no pão salpicado de gergelim preto pode vir acompanhado por uma porção de fritas. Numa visita antes ou depois da balada, não importa, a clientela vai de long neck de Stella Artois para beber. 

Meat Chopper: inaugurada em agosto na movimentada Rua dos Pinheiros, oferece hambúrgueres preparados com 200 gramas de fraldinha moída lá mesmo. Duas pedidas certeiras: o house burger, espécie de cheese salada umedecido por maionese temperada e relish de pepino, e o onion’n’cheese, composto de queijo emmental e bastante cebola caramelizada. São uma delícia as porções para repartir, entre elas os picles de pepino empanados, sequinhos e crocantes, e as batatas fritas com com alho e alecrim torrados.

Meats - hambúrguer com abobrinha
Meats: melhor hambúrguer gourmet da cidade (Foto: Lucas Lima)

Meats: uma ideia fixa — e boa — fez do chapeiro Paulo Yoller um chef de cozinha. Formado em gastronomia, ele não queria repetir receitas alheias ou ficar só no básico cheeseburger. Pouco tempo depois de sair da hamburgueria Butcher’s Market, no Itaim, associou-se a Dudu Borger para inaugurar um espaço onde inovar é a regra. O bacon, seu ingrediente favorito, tatuado até no antebraço, foi parar também na farofa doce que cobre três bolas de sorvete. A sobremesa se chama true love, ou amor verdadeiro. Entre as entradas, uma batata frita em rodelas fininhas fica ainda melhor acompanhada do ketchup artesanal feito de tomate e uma redução de cajuína. Outro produto bem brasileiro, o catupiry aparece no lanche palha, ao lado de talo de coentro picado, mandioquinha palha e pancetta (o toucinho italiano curado, não defumado como o bacon). Para montar o hambúrguer de 180 gramas são usados acém, pescoço e peito bovinos frescos, moídos lá mesmo. No ponto da casa, bem vermelho, fica deliciosamente suculento. Até na hora do cafezinho há uma surpresa. Acompanha o coado, desenvolvido por Isabela Raposeiras, uma balinha listrada branca e vermelha. Lembra um bacon, claro, mas o sabor é de pimenta e limão-siciliano.

Na Garagem: dá gosto ver lugares minúsculos onde a qualidade da comida supera o desconforto. É o caso desta hamburgueria comandada por Gilson de Almeida. A experiência do chef vem do tempo em que trabalhou em Nova York no DB Bistro Moderne, do chef Daniel Boulud. Num salão adaptado, no qual já funcionou uma garagem, ficam as mesas. Antes de ocupar uma das banquetas altas, o cliente se encarrega de retirar o pedido no balcão. Depois, devolve a louça usada e paga a conta no caixa. Na hora de escolher, não há espaço para dúvidas: são só duas opções de lanche. Os mais tradicionalistas vão de cheese salada, com 130 gramas de carne grelhada, queijo prato, alface-americana, tomate e cebola-rox. O toque de criatividade fica por conta do delicioso molho da casa, feito de cenoura, mandioquinha e óleo defumado. Um pouco mais cara, a opção vegana de cereais é preparada numa chapa à parte, para não entrar em contato com a proteína animal. De acompanhamento, uma caneca individual de batata frita temperada com alecrim fresco sai por módicos R$ 3,00.

Na Garagem Vegetariano
Na Garagem: sanduíches em ambiente minúsculo (Foto: Taygoara Martins)

Original Burger: com matriz no Brooklin, ganhou em julho de 2012 uma filial no Alto de Pinheiros. O cardápio traz sanduíches batizados com nomes de estados americanos. O califórnia combina hambúrguer de fraldinha, queijo brie e cogumelos shiitake e shimeji no pão ciabatta. Tradicional, o hambúrguer mais vendido da casa leva 150 gramas de picanha, queijo, alface e cebola.  

Vinil Burger: inaugurada em outubro de 2013, a pequena casa tem apenas um hambúrguer no cardápio. O cliente pode mudar somente o tipo de queijo e acompanhamentos como bacon, picles e salada. Para acompanhar, cervejas artesanais da marca Tarantino - feita pelos irmãos que comandam a hamburgueria.

Fonte: VEJA SÃO PAULO