Shows

Roger Waters faz apresentação baseada no álbum "The Wall"

Ex-líder e baixista do Pink Floyd mostra o repertório do emblemático disco lançado em 1979

Por: Carol Pascoal

Roger Waters 2262
O muro de 137 metros de comprimento: grandiosidade (Foto: Divulgação)

Quando a banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd lançou “The Wall”, em 1979, poucas apresentações foram feitas baseadas no disco. Entre 1980 e 1981, o grupo subiu ao palco com esse repertório 31 vezes em apenas quatro cidades. O número reduzido se devia à complexidade de encontrar lugares que suportassem a estrutura do espetáculo — já naquela época um muro era montado e destruído no decorrer do evento.

Desde 2010, o ex-líder e baixista do conjunto, Roger Waters, roda o mundo com uma turnê na qual executa o emblemático álbum na íntegra — de “In the Flesh?” a “Outside the Wall”. Graças às novas tecnologias, o show ganhou uma versão mais moderna e foi realizado mais de 120 vezes. O Estádio do Morumbi recebe a megaprodução no domingo (1º) e na terça (3).

+ Rock das antigas: shows para quem gosta de hits do século passado

+ Saiba quais são os shows que agitam a cidade

Roger Waters 2262
Roger Waters: canções do álbum de 1979 (Foto: Divulgação)

Sem passar por São Paulo há cinco anos, quando tocou o clássico “The Dark Side of the Moon” (1973) no mesmo estádio, Waters vem acompanhado por dez músicos, entre eles o seu filho Harry (teclados). Embalada por hinos como “Another Brick in the Wall”, a ópera-rock aborda assuntos políticos e faz discurso antiguerra, mas tudo sob uma visão contemporânea. Uma imagem do brasileiro Jean Charles de Menezes, por exemplo, é projetada nos tijolos do impressionante paredão de 137 metros de comprimento por 11 de altura. Em 2005, o rapaz foi confundido com um terrorista e morto pela polícia britânica no metrô de Londres. Três personagens infláveis e uma réplica de um avião utilizado na II Guerra Mundial, que se choca contra a muralha, também enriquecem a montagem.

Confira abaixo a íntegra do show que Roger Waters fez em maio do ano passado na O2 Arena, em Londres:

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO